Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Ministro das Finanças garante que "não há benesse aos banqueiros"

O ministro das Finanças explicou esta quarta-feira que a Caixa Geral de Depósitos não pode aceder à linha de recapitalização da banca porque as suas necessidades de financiamento já estão incluídas no programa e garante não haver benesses aos banqueiros.
14 de Dezembro de 2011 às 13:05
O ministro das Finanças, Vítor Gaspar
O ministro das Finanças, Vítor Gaspar FOTO: d.r.

"A razão pela qual no programa a Caixa Geral de Depósitos não esta incluída nesta linha deve-se ao facto das necessidades de financiamento das instituições públicas estarem enquadradas no quadro geral do programa", disse o governante, explicando que a CGD como instituição pública está já incluída assim nas necessidades gerais estimadas no programa.

O governante garantiu ainda que sendo operadas pequenas alterações ao Programa de Assistência Económica e Financeira de forma regular e que a questão do financiamento à economia "é sempre examinada e é um aspecto central", sublinhando que este mecanismo de recapitalização é "seguro".

Sobre as condições da ajuda, o governante garante que "não há aqui qualquer benesse aos banqueiros".

Vítor Gaspar garante ainda que a garantia de solvência das instituições é avaliada de forma constante pelo Banco de Portugal e será analisada no contexto dos planos de recapitalização, tanto pelo Banco de Portugal como pelo Ministério das Finanças.

O ministro voltou ainda a sublinhar que a forma da intervenção "está construída como temporária e só faz sentido como intervenção temporária", procurando no texto do diploma legal incluir incentivos a que o pagamento da ajuda ao Estado possa ser feito mais cedo.

Banca Recapitalização CGD Finanças
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)