Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
3

Ministro desvaloriza

O ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, admitiu ontem que o eventual fecho da fábrica da Opel terá algum impacto negativo nas exportações portuguesas, mas previu que será compensado pelos efeitos de outros investimentos.
28 de Junho de 2006 às 02:44
Teixeira dos Santos respondia a perguntas dos deputados comunista Honório Novo e do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, sobre os efeitos do eventual encerramento da fábrica da General Motors, na Azambuja, nas exportações portuguesas e no crescimento económico. O ministro falava na Comissão de Orçamento e Finanças, que está a debater a proposta de Grandes Opções do Plano (GOP) para 2007.
Relativamente à questão de Francisco Louçã sobre se o Governo admite que as GOP incluam quadros obrigatórios que dêem uma visão de conjunto das políticas do Governo, Teixeira dos Santos disse que alguma quantificação seria positiva, mas um excesso de pormenorização seria contraproducente porque retiraria capacidade de adaptação à realidade.
Miguel Frasquilho, do PSD, criticou o atraso do Governo na entrega à Assembleia da República das GOP e do relatório de política orçamental.
Relativamente à economia portuguesa, Frasquilho afirmou que o crescimento do primeiro trimestre foi melhor, mas claramente insuficiente, acentuando-se a divergência face à média europeia, e considerou que o objectivo de crescimento de três por cento em 2009 é “um passe de mágica” para manter a promessa do primeiro-ministro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)