Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

Ministro diz que nível de dívida nas empresas públicas é “insustentável”

O ministro das Economia, Álvaro Santos Pereira, afirmou neste sábado que o nível de endividamento das empresas públicas é insustentável e está a absorver o pouco crédito que existe na economia.
21 de Janeiro de 2012 às 11:56
Álvaro Santos Pereira acrescentou que só as empresas de transportes têm uma dívida de 17 mil milhões de euro e que em juros pagam 590 milhões de euros todos os anos
Álvaro Santos Pereira acrescentou que só as empresas de transportes têm uma dívida de 17 mil milhões de euro e que em juros pagam 590 milhões de euros todos os anos FOTO: Jorge Paula

"O pouco crédito existente é alocado principalmente para as empresas públicas e as empresas privadas têm ainda menos crédito. Esta é uma situação que nos preocupa", afirmou o ministro da Economia e Emprego, durante a sua intervenção na conferência sobre reformas estruturais que termina este sábado no Liceu Pedro Nunes, em Lisboa.  

Álvaro Santos Pereira voltou a sublinhar os problemas nas contas das empresas públicas, afirmando que "o nível de endividamento das empresas públicas é insustentável" e que a reestruturação do sector empresarial do Estado "é fundamental para permitir resolver a questão da falta de liquidez" das empresas privadas.  

O governante aproveitou ainda esta conferência, que fecha um ciclo de três dias de reuniões com responsáveis da missão do Fundo Monetário Internacional (FMI), Comissão Europeia (CE) e Banco Central Europeu (BCE) e com especialistas e empresários nacionais, para revelar que o Ministério da Economia tem tido reuniões com "centenas" de empresas para avaliar os principais problemas que enfrentam.  

Entre o topo das preocupações, segundo o ministro, estarão as dificuldades das empresas em financiar-se, para além das questões relacionadas com burocracia, justiça e leis laborais.  

Álvaro Santos Pereira acrescentou que só as empresas de transportes têm uma dívida de 17 mil milhões de euro e que em juros pagam 590 milhões de euros todos os anos.   

álvaro santos pereira dívida transportes endividamento governo economia
Ver comentários