Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

“Ninguém ficará desprotegido”

Edmundo Martinho Pres. do ISS sobre crise económica
27 de Agosto de 2009 às 00:30
“Ninguém ficará desprotegido”
“Ninguém ficará desprotegido”

Correio da Manhã – As instituições de apoio receiam que em Setembro, por causa do fim de algumas prestações sociais, os portugueses sofram um agravamento da crise. Partilha este receio?

Edmundo Martinho – Não com a mesma intensidade.

– Porquê?

– Porque esta questão foi antecipada com a criação de um conjunto de medidas.

– Pode especificar?

– Sim. O alargamento do subsídio especial de desemprego, bem como a agilização das condições de acesso ao mesmo. Ninguém ficará desprotegido. Poderá ocorrer a redução de rendimentos, mas não a perda total dos mesmos.

– Então a Segurança Social está preparada para esta situação?

– Sim. Há outros instrumentos de apoio como o rendimento social de inserção. As instruções são para que, quatro meses antes do fim do subsídio, os serviços do Instituto de Emprego, em colaboração com a Segurança Social e a pessoa, avaliem a situação para que o rendimento não seja interrompido. Pode passar por encontrar um emprego ou pelo alargamento do período do subsídio de desemprego.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)