Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Nova plataforma reune investimento para pequenas e médias empresas

ClicInvest quer fazer ponte direta entre investidores e empresários
16 de Novembro de 2016 às 16:05
FOTO: Getty Images
Quem gere um  negócio sabe que o acesso ao financiamento é um dos graves problemas que muitas vezes impede a expansão das pequenas e médias empresas. O acesso ao crédito bancário é complexo, demorado e, muitas vezes, o processo acaba com uma resposta negativa.

A ClicInveste, disponível no site clicinveste.pt é uma nova plataforma que tem por objetivo aproximar investidores e empresários, permitindo a concessão de empréstimos de forma rápida e segura. 

Nuno Caldas Netto, um dos fundadores da ClicInveste, explica o processo: "A empresa regista-se na plataforma e, em 48 horas, tem uma avaliação que atribui à empresa um score e uma a taxa de juro indicativa em relação ao empréstimo pretendido". Depois de uma análise mais pormenorizada por parte da plataforma, o projeto para o qual a empresa procura financiamento é mostrado aos investidores inscritos na plataforma, que têm 30 dias para aplicar o seu dinheiro. "Até agora, conseguimos obter investimento para cerca de 14 empresas", diz o responsável.

A taxa de juro a pagar pela empresa é calculada de acordo com uma fórmula matemática que tem em conta o risco de cada operação as condições do mercado. "Temos apresentado aos investidores uma empresa por semana. Todas conseguiram financiamento", conta Nuno Netto.

Para os investidores, estes empréstimos permitem obter um retorno com taxas de juro acima da maioria dos instrumentos financeiros tradicionais. Os contratos já celebrados têm atingido juros na ordem dos 5%. No site da ClicInvest pode perceber-se que os valores de financiamento poderão ir "de 2.500€ a 100.000€", com prazos "de 6 a 36 meses". O juro varia caso a caso, conforme as circunstâncias de cada pedido que chega à plataforma. 

A ClicInveste permite o acesso a pequenos investidores. "Os valores a investir partem de um mínimo de 10 euros por projeto a um máximo de 3 mil euros em cada empréstimo e um máximo de 10 mil euros por ano", explica Diogo Dantas da Cunha, outro dos sócios fundadores da ClicInveste.

O risco existe - haverá sempre a possibilidade de a empresa não cumprir os pagamentos acordados - mas a plataforma garante uma "avaliação rigorosa" do grau de risco, contando nessa tarefa com a colaboração da Ignios, conceituada empresa de gestão de risco.

O funcionamento da plataforma assemelha-se ao chamado 'crowdfunding'. As empresas apresentam um projeto e os investidores têm 30 dias para investir, ou até se chegar ao montante pretendido. Caso essa soma não seja atingida, é avaliado se o montante conseguido é suficiente para avançar ou se o negócio é, simplesmente, cancelado. As transações são feitas através da plataforma, ficando os responsáveis das empresas com a obrigação de cumprir os acordos estabelecidos com os investidores.

A ClicInvest começou a operar em Portugal no início de 2016. "Fizemos um chamado 'soft launch' sem fazer publicidade, para afinarmos todo o processo. As empresas e investidores que chegaram ao site foi pela via da recomendação mútua", conta Nuno Netto. Com cerca de 3 mil utilizadores já registados, a ClipInvest é a segunda plataforma de financiamento cooperativo a operar no mercado nacional, onde já funciona a Raize. O princípio é semelhante - conseguir financiamento rápido, seguro e simples para pequenas e médias empresas que precisam de investir.






cityinvest plataforma empresários investidores pequenas médias empresas
Ver comentários