Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Operários desapontados

Os trabalhadores da Oliva decidiram ontem, face à possibilidade de dissolução da empresa, que vão adiar a greve que visava reivindicar o pagamento dos salários em atraso, enquanto a produção metalúrgica se mantiver parada.
12 de Janeiro de 2010 às 00:30
Os trabalhadores ainda têm ordenados em atraso
Os trabalhadores ainda têm ordenados em atraso FOTO: Sónia Caldas

David Soares, da comissão de trabalhadores da empresa de S. João da Madeira, afirmou, após o plenário, que "o comunicado do tribunal foi desolador, pois toda a gente estava a contar com a viabilização da empresa e não com o encerramento". "Já solicitámos uma reunião com o gestor da Oliva e com o administrador de insolvência, para nos explicar porque fez esta opção, mas não estamos com grande expectativa", afirmou.

"Vamos tentar encontrar soluções com a Câmara [de S. João da Madeira], o Governo Civil, a Segurança Social, e vamos tentar ser ouvidos pelo Ministério da Economia."

INSOLVÊNCIA: 184

O prazo para avaliação da proposta por trabalhadores e credores finda quinta-feira. Se a insolvência for aprovada perdem-se 184 postos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)