Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

"Orçamento protege os mais pobres"

O ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Pedro Mota Soares, defendeu esta sexta-feira que a proposta de Orçamento do Estado para 2012 demonstra a "consciência social" do Governo e protege "os mais pobres".
11 de Novembro de 2011 às 11:30
O ministro da Solidariedade e Segurança Social diz que o Governo "poupou no que é superficial"
O ministro da Solidariedade e Segurança Social diz que o Governo 'poupou no que é superficial' FOTO: Manuel de Almeida/Lusa

Na abertura do segundo dia de debate na generalidade do Orçamento do Estado para 2012, no Parlamento, Mota Soares alegou que o Governo "poupou no que é superficial", no que "não é fundamental, para garantir que não falta no que é essencial".

Em defesa da "sensibilidade social" do orçamento para o próximo ano, o ex-líder parlamentar do CDS-PP apontou medidas como o "desconto social na energia" para "cerca de 700 mil famílias", o aumento de "16 por cento" da "verba da ação social" e a atualização das "pensões mínimas, sociais e rurais" de "um milhão de portugueses".

"O que aconteceu no orçamento passado, em que os mais pobres, na sociedade portuguesa, foram chamados ao esforço colectivo, não pode voltar a acontecer", afirmou.

Orçamento Mota Soares Debate
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)