Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Paulo Portas: Prudente flexibilizar défice

Baixar o défice até aos 4%, no próximo ano, é uma meta em risco de não ser comprida
27 de Maio de 2013 às 18:13

Paulo Portas considera “prudente” a possibilidade admitida pelo chefe do Governo, de flexibilizar novamente as metas do défice, para 2014.

O ministro afirmou, esta segunda-feira, em Bruxelas, que os fatores externos tornam o objetivo de um défice de 4%,do Produto Interno Bruto (PIB), “difícil de atingir”.

"Eu vejo essa matéria com serenidade. Toda a gente sabe o que eu disse à 'troika' e disse também ao país: que o objetivo do défice para 2014 podia ser difícil de atingir", afirmou Paulo Portas, à margem da reunião dos chefes de diplomacia da União Europeia.

Para o líder do partido de coligação, as dificuldades em atingir as metas definidas, continuam apesar do grande esforço feito pelos portugueses. A dificuldade continua a existir” não porque os portugueses não estejam a fazer um grande esforço - porque o estão e merecem respeito por isso -, mas porque a economia europeia se está a deteriorar", afirmou.

Portas considera que os programas devem ajustar-se à realidade e por isso concorda com as declarações de Passos Coelho.

Na passada sexta-feira, durante o debate quinzenal na Assembleia da República, o primeiro-ministro admitiu que pode vir a ser preciso uma nova flexibilização das metas em 2014.

Portas Passos Coelho Bruxelas défice flexibilizar
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)