Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Pedidos para apoios a pescadores de sardinha abrem esta semana

Barcos estão em terra desde o final de outubro devido ao defeso da espécie imposto pelo Governo.
Tiago Griff 28 de Novembro de 2017 às 01:30
Frota da sardinha está parada em todo o País. Portaria do Governo vai compensar a falta de rendimento de pescadores
Pesca da sardinha
Pesca da sardinha está parada desde o final do mês de outubro devido ao defeso obrigatório da espécie
Sardinha
Frota da sardinha está parada em todo o País. Portaria do Governo vai compensar a falta de rendimento de pescadores
Pesca da sardinha
Pesca da sardinha está parada desde o final do mês de outubro devido ao defeso obrigatório da espécie
Sardinha
Frota da sardinha está parada em todo o País. Portaria do Governo vai compensar a falta de rendimento de pescadores
Pesca da sardinha
Pesca da sardinha está parada desde o final do mês de outubro devido ao defeso obrigatório da espécie
Sardinha
Depois de várias semanas de indefinição, o Governo vai lançar esta semana a portaria de regulamentação para que os profissionais da pesca da sardinha se possam candidatar ao subsídio a que têm direito, devido à época de defeso da espécie que tem mantido os barcos em terra há mais de um mês. Ainda assim, as associações do setor queixam-se do atraso na publicação deste despacho, que poderá gerar atrasos no pagamento dos apoios aos pescadores.

"No ano passado metemos os papéis para os pedidos dos apoios assim que os barcos pararam, no final de outubro, e mesmo assim houve pessoas que só receberam em janeiro. Este ano, com o despacho a sair um mês depois da paragem, não estou a ver recebermos tão cedo", queixou-se ao CM Mário Galhardo, presidente da associação algarvia Barlapescas, que conta com 15 embarcações, alertando ainda para a dificuldade financeira "das famílias dos pescadores que não têm outra fonte de rendimento".

A paragem da frota da pesca da sardinha a nível nacional deve-se ao defeso, que acontece todos os anos para proteger a espécie e dar tempo para o seu crescimento. Muitos dos barcos já estão parados desde o final de outubro e não conseguem arranjar alternativas.

"A cavala tem um tamanho muito pequeno e o carapau está demasiado barato para compensar levarmos os barcos para a pesca. Estamos de mãos atadas", lamenta Mário Galhardo.

Segundo a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, este despacho vai sair ainda esta semana, abrindo a porta às candidaturas. Os pescadores vão ter 30 dias de apoio - ou seja, um valor de pouco mais de 600 euros - cujo período de tempo pode ser escolhido entre 30 de novembro de 2017 e 30 de abril de 2018, enquanto dura o defeso.

A verba é suportada por fundos nacionais e europeus no âmbito do Programa Operacional MAR 2020.

Quotas da pesca em discussão e ainda por definir    
Segundo o CM apurou, esta quarta-feira vai haver uma reunião em Lisboa com as várias associações da pesca da sardinha, na qual serão debatidos vários assuntos relacionados com o setor.

Um dos temas que serão abordados é a quota da pesca da sardinha para 2018, que ainda não está definida. Os produtores não querem que se apanhe menos de 17 mil toneladas e o ideal, dizem, seria 23 mil toneladas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)