Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

Pescadores em fúria

Dezoito horas de bloqueio na Docapesca de Matosinhos terminaram ontem em confrontos violentos entre armadores, pescadores e polícias. Os agentes, que tinham garantido não agir dentro da doca, invadiram a lota e impediram a saída de uma tonelada de peixe que os armadores, em greve, queriam dar a instituições de caridade.
1 de Junho de 2008 às 00:30
Dezenas de pescadores entraram na lota e destruíram cerca de uma tonelada de peixe, na sua maioria sardinha
Dezenas de pescadores entraram na lota e destruíram cerca de uma tonelada de peixe, na sua maioria sardinha FOTO: José Rebelo

Em causa estava um diferendo entre pescadores e comerciantes. Muitos vendedores, que já tinham pago o pescado, recusavam a dádiva deste.

"Tiveram 48 horas para vender o peixe. É má-fé. Querem aproveitar a nossa greve para especular e ganhar mais. Não sai nada", prometia o armador, José Nunes, pelas 10h00.

Foi após o almoço que o braço-de-ferro, durante o qual os armadores chegaram a ameaçar "queimar tudo", acabou. Quando os pescadores invadiram a lota para dar o peixe, já a PSP os seguia. "Deram uma bastonada num armador. Tentámos apelar, acalmar, não conseguimos", disse Américo Postiga, armador.

Ocaos instalou-se pelas 15h30. Dentro da lota, pescadores e agentes da PSP e Polícia Marítima esmurravam-se,enquanto os comerciantes choravam o peixe no chão. Um agente ficou ferido com uma caixa de peixe na cabeça. Os ânimos aqueceram e a polícia não conseguia controlar a violência. Alguns queriam ver as anunciadas 20 toneladas de peixe espanhol. "É peixe ilegal, comprado sem facturas, de um barco fura-greves", explicou José Nunes.

Fora do armazém da lota, José Luís Silva, da Associação de Armadores de Pesca do Norte, culpou os comerciantes e o ministro. "Os vendedores preferiam deixar o peixe apodrecer, em vez de o dar aos pobres", afirmou. Ao ministro também não poupou críticas. "Não satisfez as pretensões dos pescadores." Os pescadores desmobilizaram pelas 18h00 e reúnem-se hoje no porto da Póvoa do Varzim.

BLOQUEIO NO PORTO DE OLHÃO

Nem um comerciante conseguiu ontem entrar no porto de Olhão para vender peixe, vindo a maioria de Espanha e Marrocos. Eram 00h30 quando uma centena de pescadores algarvios tapou o acesso ao local onde é feito o chamado 2º mercado, que funciona de madrugada sem controlo sanitário nem de qualidade.

Foi feita uma vigília durante a noite, porque, segundo António da Branca, da Olhão Pescas, no dia anterior foi vendido "peixe armazenado nos frigoríficos". O bloqueio chegou a provocar um incidente. Um pescador lúdico queria "vender peixe pescado de forma ilegal e o produto foi atirado para o chão", explicou o dirigente.

MESAS VAZIAS E PEIXE AO DESBARATO

Os restaurantes da zona ribeirinha de Portimão estavam vazios à hora do almoço de ontem, mas nos mercados daquela cidade e de Olhão havia peixe em quantidade apreciável, em muitos casos vendido a preços abaixo dos praticados habitualmente, devido a uma procura menor.

"Para hoje ainda tenho peixe fresco, proveniente da pesca artesanal, e estamos a servir ao ritmo normal, mas há quem já sinta a falta da necessária matéria-prima para trabalhar. E a situação tende a agudizar-se nos próximos dias", refere João Veiga, dono do restaurante D. Barca, um dos mais movimentados de Portimão.

No mercado desta cidade havia peixe em quantidade significativa, embora muito fosse de quinta-feira – os armazenistas precaveram-se, face à greve –, e os preços estavam dentro dos padrões normais ou até, em alguns casos, mais baixos.

Mais a Sotavento, em Olhão, muito peixe foi vendido ao desbarato. A procura diminuiu e os comerciantes quiseram escoar o produto comprado em excesso nos dias anteriores. A sardinha chegou a ser vendida a 2 euros e o carapau a apenas 1 euro. "Se o peixe não é consumido e deixa de ser fresco perde valor e o preço baixa", lamentou ao CM o comerciante José Fernandes.

TAVIRA ABASTECE-SE EM ESPANHA

A subida imparável no preço dos combustíveis, que está na base da greve dos pescadores, levou a Câmara Municipal de Tavira a tomar a decisão radical de passar a abastecer viaturas da frota da autarquia em Espanha.

"Está decidido e começa segunda-feira [amanhã]", disse ao CM o presidente da Câmara de Tavira. Macário Correia (na foto) explicou que as viaturas da autarquia consomem mil litros de combustível por dia e que em Espanha este "é 30 por cento mais barato". Tavira está a 20 minutos da fronteira e por isso compensa abastecer em Espanha. A medida abrange apenas autocarros e camiões da frota municipal, que tem um total de 150 viaturas. Outras câmaras do Sotavento algarvio poderão seguir o exemplo.

GUIA DE POUPANÇA

Braga, Porto e Aveiro tinham ontem o gasóleo mais barato

AVEIRO

Gasolina SC95:

Intermarché Oliveira do Bairro €1,409

Gasóleo: Continente Aveiro €1,320

BEJA

Gasolina SC95: Ecomarché Castro Verde €1,429

Gasóleo: Ecomarché Beja €1,369

BRAGA

Gasolina SC95: E.Leclerc Fafe €1,378

Gasóleo: E.Leclerc Fafe €1,310

BRAGANÇA

Gasolina SC95: Repsol – Ponto Encontro €1,489

Gasóleo: Feira Nova Mirandela €1,330

CASTELO BRANCO

Gasolina SC95: F. Nova Fundão €1,410

Gasóleo: Feira Nova Fundão €1,340

COIMBRA

Gasolina SC95: Intermarc. Cant. €1,425

Gasóleo: Intermarché Cantanh. €1,345

ÉVORA

Gasolina SC95: BP Évora €1,494

Gasóleo: Eco Inter Évora €1,329

FARO

Gasolina SC95: E. Leclerc

Portimão €1,419

Gasóleo: TOTAL – Lagos €1,383

GUARDA 

Gasolina SC95: Feira Nova Seia €1,420

Feira Nova Seia €1,340

LEIRIA

Gasolina SC95: Intermarché Alcobaça €1,421

Gasóleo: Intermarché Alcobaça €1,346

LISBOA

Gasolina SC95: Esso Quinta das Palmeiras €1,429

Gasóleo: Jumbo Alfragide €1,339

PORTALEGRE

Gasolina SC95: Galp Lubrinisa €1,491

Gasóleo: Galp Lubrinisa €1,415

PORTO

Gasolina SC95:Interm. P. Ferreira €1,419

Gasóleo: Feira Nova Guilhufe €1,310

SANTARÉM 

Gasolina SC95: F. Nova T. Novas €1,420

Gasóleo: Intermarché Alferrar. €1,335

SETÚBAL

Gasolina SC95: Jumbo Palmela €1,419

Gasóleo: Jumbo de Almada €1,330

VIANA DO CASTELO

Gasolina SC95: Galp MaxiPostos €1,451

Gasóleo: Esso Meadela €1,369

VILA REAL

Gasolina SC95:Total – Lage €1,489

Gasóleo: E.Leclerc Chaves €1,360

VISEU

Gasolina SC95: PetroSátão €1,430

Gasóleo: PetroSátão €1,350

Fonte: Mais Gasolina www.maisgasolina.com

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)