Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

PESCAS: ACORDO DIFÍCIL CONSEGUIDO EM BRUXELAS

Os ministros das Pescas dos Quinze chegaram esta sexta-feira-feira a acordo quanto às quotas de pesca para 2004. Portugal conseguiu evitar a redução para metade dos dias de faina. Os cortes nas capturas não serão tão elevados como inicialmente estavam previstos.
19 de Dezembro de 2003 às 09:43
No caso da pescada, Portugal terá que reduzir as capturas em 15 % (a proposta inicial era de 49 %) e no caso do tamboril a redução será de 43 %, contra os 70 % inicialmente propostos.
Estes cortes abrangem a zona de pesca da Península Ibérica, onde Portugal captura 90 por cento do seu pescado.
Ao que tudo indica, foi aceite a proposta de compromisso apresentada pela presidência italiana da União Europeia, que isentava a frota portuguesa de reduzir para metade os dias de faina e pedia como contrapartida planos rígidos de recuperação das espécies ameaçadas.
ARMADORES PREOCUPADOS
Apesar do ministro da Agricultura e Pescas, Sevinate Pinto, ter considerado positivo este acordo, em declarações à TSF, Pedro França, presidente da Associação de Armadores de Pesca Industrial, afirmou que “qualquer redução de quota é má”. Reagindo ao acordo alcançado esta manhã em Bruxelas, argumenta ainda que “não é um bom acordo por a redução ser menos significativa”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)