Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

Peugeot não fecha

O grupo empresarial francês PSA, proprietário da Peugeot e da Citroën, negou ontem qualquer intenção de fechar o centro de produção de Mangualde e confirmou o interesse em comprar terrenos para expandir a fábrica.
29 de Dezembro de 2006 às 00:00
Não há intenção de encerrar a fábrica de Mangualde, que precisa de terrenos para ser expandida
Não há intenção de encerrar a fábrica de Mangualde, que precisa de terrenos para ser expandida FOTO: Nuno Ferreira
“O futuro de Mangualde está assegurado. É uma unidade muito eficiente e precisamos da sua produção”, afirmou Hugues Dufour, porta-voz do grupo, em declarações à agência Bloomberg.
A possibilidade de encerramento do centro de Mangualde da PSA Peugeot Citroën foi avançada ontem com base numa carta enviada à Câmara, em que a empresa alertava a autarquia para a necessidade de serem encontrados terrenos a bom preço para a expansão da fábrica.
“Se não puder apresentar à PSA, em Paris uma possibilidade concreta e certa durante os próximos meses o centro de produção de Mangualde deixará irremediavelmente de ser considerado no Plano de Desenvolvimento Estratégico do Grupo PSA, com todas as consequências negativas resultantes para a evolução económico-social de toda a região”, refere a carta enviada à Câmara de Mangualde pela direcção da PSA Portugal, divulgada pelo ‘Diário Económico’.
O porta-voz da PSA confirmou ontem o interesse do grupo em adquirir os terrenos necessários, mas “a preços de mercado, não a dez vezes esse preço”.
O ministro da Economia, Manuel Pinho, está confiante que surgirá uma solução para os terrenos e anunciou que o Governo vai assinar com o grupo francês um contrato de investimento de oito milhões de euros para instalar uma nova unidade de pintura em Mangualde.
ÁREA TEM DE CRESCER 80 MIL M2
Um dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos e funcionário da Citroën, Jorge Abreu, disse que a empresa “tem garantidos os terrenos de que precisa” pois a Câmara de Mangualde e o Ministério da Economia estão disponíveis para avançar com um processo de expropriação, caso falhem as negociações com os proprietários.
O sindicalista está a acompanhar a situação com “alguma preocupação”, mas garante que “pela empresa nunca foi dito que haveria a possibilidade de encerrar”. O grupo francês precisa de terrenos com uma área total de 80 mil metros quadrados (20 mil metros quadrados a poente e 60 mil metros quadrados a nascente da actual fábrica) para garantir o aumento da produção. Os terrenos em causa estão na posse de oito proprietários, metade dos quais se mostraram receptivos à venda.
CARACTERÍSTICAS
MIL TRABALHADORES
O centro de produção de Mangualde emprega 1236 trabalhadores residentes naquele concelhos e nos vizinhos. Além disso suporta várias empresas locais, num total de cinco mil empregos.
53 MIL VEÍCULOS
Nos primeiros onze meses deste ano a fábrica produziu 32 875 automóveis Citroën Berlingo e 20 311 modelos Peugeot Partner, o que dá um total de mais de 53 mil veículos.
PRODUÇÃO MANUAL
A PSA salienta que a particularidade de Mangualde é possuir um processo de produção inteiramente manual, que lhe permite montar a quase totalidade dos veículos correntes ou específicos do grupo.
NOVO MODELO
A expansão da fábrica tem por objectivo a produção de um novo modelo do grupo francês, que deverá chegar ao mercado em 2009. Os actuais modelos – Peugeot Partner e Citroën Berlingo – vão sair da linha de produção em 2008.
DEMISSÃO EM ESPANHA
O director-geral da fábrica espanhola PSA Peugeot Citroën, em Vigo, Javier Riera, demitiu-se na semana passada, alegadamente devido a divergências com a casa mãe, em Paris. A fábrica espanhola produziu 456 mil veículos durante este ano.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)