Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Portugal deve apostar na floresta

O ministro da Agricultura, Jaime Silva, realçou esta segunda-feira a necessidade de Portugal apostar fortemente nos recursos florestais para que a área agrícola nacional possa competir quando terminarem os subsídios comunitários, em 2013.
20 de Março de 2006 às 13:32
'Temos de ver ou de olhar para a floresta como uma prioridade', defende Jaime Silva
'Temos de ver ou de olhar para a floresta como uma prioridade', defende Jaime Silva FOTO: d.r.
O alerta de Jaime Silva surge no mesmo dia em que o jornal "Público" divulgou os resultados de um estudo elaborado pela Universidade de Évora, que refere que 80 por cento da superfície agrícola portuguesa não é competitiva. Os autores do estudo sublinham que apenas dois terços dos produtos agrícolas portugueses (produzidos em 20 por cento da superfície agrícola) podem sobreviver sem os apoios comunitários, se for garantida a sua competitividade.
O ministro afirmou que os resultados do estudo divulgados hoje não são uma surpresa e vêm apenas confirmar o que já se sabia. "A sua divulgação é vantajosa, porque estamos a discutir qual é a política agrícola para os próximos sete anos”, realçou Jaime Silva, que considera este prazo decisivo para se dar “sustentabilidade e competitividade” aos 20 por cento da superfície agrícola capaz de sobreviver sem ajudas comunitárias.
Em relação aos restantes 80 por cento da superfície agrícola portuguesa não competitiva, o ministro defendeu que a situação pode ser alterada através de uma aposta forte nos recursos florestais e na atracção de investimento para a floresta.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)