Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

Portugal tem a terceira maior subida de preços de alimentos

Só a Alemanha e a Suécia registaram inflação mais elevada do que o nosso País.
Raquel Oliveira 22 de Novembro de 2022 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Portugal tem a 3ª maior subida de preços de alimentos
Portugal registou a terceira maior subida no preço dos alimentos na União Europeia, só atrás da Alemanha e da Suécia. O ranking do Banco Mundial foi divulgado esta segunda-feira pelo ‘Cinco Días’ e mostra que o preço da alimentação foi superior à inflação geral.

A inflação real registada nos alimentos em Portugal esteve 4,84% acima da inflação geral, no período entre maio e agosto, segundo o Banco Mundial, evidenciando que na Alemanha alcançou 7,27% e na Suécia 5%. A União Europeia a 27 atingiu 5,24% e a zona euro fixou-se, para o mesmo período de tempo, em 2,58%. Em declarações ao jornal, fonte do Banco Mundial admite que enquanto os preços da energia se mantiverem em alta, o risco dos preços dos alimentos continuarem elevados permanece.

O Banco Mundial antecipa uma redução de 11% dos preços da energia em 2023 e 12% em 2024, mas ainda assim mais elevados dos praticados antes da guerra na Ucrânia. Aquele organismo internacional já anunciou que o preço dos produtos energéticos deverá manter-se 50% mais alto do que a média dos últimos cinco anos.

Cabaz sobe 26 euros desde o início da guerra
Um cabaz de bens alimentares essenciais custa, atualmente, quase 210 euros, mais 26 euros do que em 23 de fevereiro, quando começou a guerra na Ucrânia, segundo a Deco Proteste, que tem acompanhado a evolução de preços de 63 produtos. “Este valor corresponde a mais 14,35% face ao registado na véspera do início do conflito armado com a Ucrânia”, concretiza a publicação na sua análise semanal.
União Europeia Portugal Cinco Días Alemanha Suécia Banco Mundial Ucrânia economia negócios e finanças
Ver comentários
C-Studio