Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Português António Horta-Osório escolhido para liderar grupo Credit Suisse

Português deixa presidência executiva do Lloyds para assumir o cargo de presidente do conselho de administração do banco suíço.
Correio da Manhã 1 de Dezembro de 2020 às 07:06
António Horta Osório, presidente executivo do Lloyds Bank
António Horta Osório, presidente executivo do Lloyds Bank FOTO: Stefan Wermuth/Reuters

O gestor português do setor da banca António Horta Osório foi nomeado para presidente do conselho de administração do Credit Suisse, cargo que deverá assumir a partir de maio. A notícia é avançada esta terça-feira, num comunicado emitido pelo próprio banco suíço.

Horta-Osório deixa agora a presidência executiva do banco britânico Lloyds, uma saída anunciada em junho passado para assumir o cargo de presidente do conselho de administração do banco com sede em Zurique.

"O Conselho de Administração do Credit Suisse Group AG propõe aos acionistas para elegerem António Horta-Osório como novo Presidente do Conselho de Administração na próxima Assembleia Geral Anual, a 30 de abril de 2021", afirma o banco suíço.

Horta Osório sucederá a Urs Rohner, que deixa o cargo de presidente do conselho de administração do banco "em 2021, como anunciado anteriormente", adianta o comunicado.

Porém, a sua saída do Lloyds Bank só se efetivará depois de completado o terceiro plano estratégico desenhado para o banco para o período 2018-2020, cujo anúncio dos resultados ao mercado ocorrerá quando Horta Osório termina um período de 10 anos à frente daquela instituição financeira, refere fonte próxima do gestor.

Urs Rohner, atual presidente da administração do banco suíço, afirmou estar "extremamente satisfeito por propor um profissional altamente reconhecido e com provas dadas na banca internacional" como seu sucessor. "António Horta-Osório vai dar um enorme contributo para o sucesso futuro do nosso banco como líder global na gestão de patrimónios com fortes capacidades na banca de investimento", pode ler-se no comunicado.

Nos próximos cinco meses, Horta Osório vai concluir a implementação do plano estratégico apresentado em 2018, e "continuar a liderar a resposta do banco aos enormes desafios colocados pelas consequências económicas da pandemia e assegurar a transição da liderança para o seu sucessor, de uma forma tranquila e organizada", adianta.

António Horta-Osório tem 56 anos e é atualmente o CEO do Grupo Lloyds Banking, o maior banco comercial e de retalho do Reino Unido. Iniciou a sua carreira na banca em 1987 no Citigroup em Portugal. Entre 1991 e 1993, trabalhou em finanças corporativas na Goldman Sachs em Nova Iorque e Londres.

Em 1993 ingressou no Grupo Santander, onde foi responsável por diversas funções executivas, desenvolvendo os negócios em vários países importantes: primeiro como CEO do Banco Santander de Negócios Portugal até 1996; depois entre 1997 e 2000 como CEO e Presidente do Banco Santander Brasil; de 2000 a 2006 como CEO do Banco Santander Totta (Portugal), como vice-presidente executivo Banco Santander na Espanha de 2000 a 2010 e de 2006 a 2010 como CEO do Santander UK / Abbey.

A partir de março de 2011, assumiu o cargo que desempenha atualmente no Lloyds Banking Group. António Horta-Osório trabalhou também no Tribunal de Justiça do Banco da Inglaterra entre 2009 e 2011.

O Credit Suisse está presente em mais de 50 países, em todo o mundo, incluindo em Portugal.

O Conselho de Administração (CA) do Credit Suisse é responsável pela direção geral, supervisão e controle do Credit Suisse Group AG.

Os membros do CA e o seu Presidente estão sujeitos a eleição individual pela assembleia geral e são nomeados, em cada caso, para um mandato de um ano, mas a reeleição é possível e desejada, para fomentar o desenvolvimento de conhecimentos específicos do negócio.

Com responsabilidade pela direção geral, supervisão e controle do Credit Suisse, o órgão que vai ser liderado por Horta Osório avalia regularmente a posição competitiva do grupo e aprova os seus planos estratégicos e financeiros.

O conselho de administração tem ainda a competência para nomear ou demitir o presidente executivo e os membros da comissão executiva, e para rever e aprovar mudanças significativas na estrutura e organização do grupo. Além disso, está ativamente envolvido em aquisições e alienações estrategicamente importantes, e em planos e projetos de investimento relevantes.

Ver comentários