Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

PPP pagas só em 2039

Só em 2039 é que as parcerias público-privadas poderão dar "benefício líquido para o concedente público". A conclusão é do relatório que o Governo e a troika encomendaram à Ernst & Young, e a que o CM teve acesso. De acordo com o valor calculado a 1 de Janeiro de 2012, os 36 contratos do Estado com as PPP "ascendem a um total de 11 776,8 milhões", ou seja, 11,7 mil milhões de euros.
4 de Julho de 2012 às 01:00
Paulo Campos, ex-secretário de Estado dos Transportes
Paulo Campos, ex-secretário de Estado dos Transportes FOTO: Manuel Teles/Lusa

Ao todo, até ao final do contrato das concessões, o encargo público bruto com as PPP rodoviárias, ferroviárias, na saúde e na segurança ascende a mais de 18 mil milhões de euros.

A Ernst & Young ganhou o concurso lançado em Dezembro de 2011 pelo Governo para realizar uma auditoria a 36 parcerias público-privadas e a 24 concessões, em resultado de um compromisso assumido no memorando de entendimento assinado com a troika.

O CM teve acesso ao relatório, demolidor para as subconcessões rodoviárias do ex-secretário de Estado dos Transportes do PS Paulo Campos, avançando que foram detectadas insuficiências no que diz respeito à "selecção da proposta mais vantajosa", "qualificação dos concorrentes" e na "análise a alternativas do projecto".

PPP relatório bancos governo PS paulo campos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)