Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Pré-acordo na Autoeuropa

A administração e a Comissão de Trabalhadores (CT) da Autoeuropa chegaram ontem a um novo acordo, depois do primeiro ter sido chumbado pelos operários. Este pré-acordo, que vai ser votado pelos trabalhadores dia 19, “é melhor do que o anterior”, garantiu ao Correio da Manhã António Chora.
13 de Janeiro de 2006 às 00:00
A fábrica de Palmela produziu 79 896 carros em 2005, o que representa uma quebra de 16 por cento face ao ano anterior. O Seat Alhambra foi o veículo que registou a maior quebra.
A fábrica de Palmela produziu 79 896 carros em 2005, o que representa uma quebra de 16 por cento face ao ano anterior. O Seat Alhambra foi o veículo que registou a maior quebra. FOTO: José Barradas
O aumento de 30 euros por 12 meses, em vez dos 15 anteriormente definidos, o que equivale a subidas entre os 2,5 e os 4,2 por cento, foi a forma dos negociadores ultrapassarem a questão das actualizações salariais para 2006. Ou seja, em vez de um aumento superior, os negociadores concluíram pela redução do prazo do acordo.
Outro dos problemas ultrapassados, prende-se com os prémios atribuídos, que passa de 200 para os 300 euros para todos os trabalhadores, e não apenas para os cargos superiores, como até aqui.
Também a percentagem das horas extraordinárias de cinco sábados foi resolvido, prevendo o acordo que, em vez do pagamento daqueles dias a 200 por cento como pretendiam os trabalhadores, a remuneração alternada entre 200 e 100 por cento.
Por último, o seguro de vida extralaboral subiu dos 25 mil para os 28 mil euros.
Trata-se de um pré-acordo “globalmente melhor do que o anterior”, afirmou o porta-voz da Comissão de Trabalhadores. “Foi o melhor que conseguimos fazer perante o futuro da empresa que todos queremos bom.” Na próxima quinta-feira, o pré-acordo vai a votação na Autoeuropa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)