Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

Precisa de abastecer? Gasóleo deverá sofrer maior queda em quase um ano na próxima semana

Preços dos combustíveis deverão registar uma redução a partir da próxima semana.
Jornal de Negócios 26 de Março de 2021 às 19:11
Combustíveis
Combustíveis
Os preços dos combustíveis deverão sofrer uma queda a partir da próxima segunda-feira, dia 29 de março, com o gasóleo a ter margem para registar a sua maior desvalorização em quase um ano.

De acordo com os cálculos do Negócios, a gasolina simples 95 poderá sofrer uma queda de cerca de 1 cêntimo por litro para os 1,554 euros por litro, a passo que o gasóleo simples tem margem para uma redução na ordem dos 2 cêntimos para os 1,348 euros por litro, naquela que poderá ser a maior queda desde abril do ano passado.

Desde o início do ano, os preços do gasóleo e da gasolina subiram 8 e 14 cêntimos, respetivamente, em termos abolutos.

Em termos percentuais registou-se, até ao momento, um aumento de 7% e 10%, pela mesma ordem.

Os cálculos têm por base a evolução destes dois derivados do petróleo (gasóleo e gasolina) e do euro. Mas o custo dos combustíveis na bomba dependerá sempre de cada posto de abastecimento, da marca e da zona onde se encontra.

Os novos preços têm em conta as variações calculadas pelo Negócios face ao preço médio praticado em Portugal esta semana e anunciado pela Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Os cálculos do Negócios têm por base contratos diferentes dos seguidos pelas petrolíferas (ainda que a evolução costume ser semelhante), sendo que os dados disponíveis para o Negócios só estão disponíveis até quinta-feira (faltando um dia de negociação).
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Negócios economia negócios e finanças energia gasóleo
Ver comentários