Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

PREÇO DA LUZ PODERÁ AUMENTAR

Os custos da reestruturação da EDP poderão vir a repercutir-se nas tarifas cobradas aos consumidores. Esta foi uma das condições exigidas por João Talone, ex-administrador do Banco Comercial Português e um dos mais conceituados gestores portugueses, ao Governo para aceitar o cargo de presidente executivo da EDP.
13 de Maio de 2003 às 00:00
Os efeitos desta reestruturação nos preços das tarifas pagas pelo consumidor serão diluídos ao longo de 20 anos. Contactada pelo Correio da Manhã, a EDP escusou-se, para já, a comentar este assunto.
Este aumento já tinha sido proposto pelo ministro da Economia, mas tem sido recusado pela Entidade Reguladora do Sector Eléctrico (ERSE), que argumenta que os consumidores não devem pagar a factura da ineficiência da empresa. Carlos Tavares já afirmou várias vezes que é preciso uma mudança na regulamentação deste sector, de modo a proporcionar às empresas nacionais as mesmas condições de concorrência usufruídas pelas empresas espanholas. Esta reestruturação pretende aumentar a competitividade da empresa portuguesa no mercado ibérico.
Dada a crescente liberalização do mercado eléctrico e a forte concorrência entre as empresas, este aumento dos tarifários vai prejudicar, em especial, o consumo doméstico. A EDP vai receber cerca de 16,5 milhões de euros de dividendos da sua participação de três por cento no capital da empresa espanhola Iberola. Apesar do fim da parceria da EDP com a segunda eléctrica espanhola, a empresa portuguesa continua a controlar 27 milhões de euros da Iberola.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)