Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Presidente do banco central suíço diz-se vítima de ataque pessoal

O presidente do banco central suíço afirmou nesta quinta-feira que está a ser alvo de "ataque pessoal", depois de, nos últimos dias, a imprensa o ter acusado de efectuar transacções de divisas incompatíveis com as suas funções.
5 de Janeiro de 2012 às 20:41
"Desde que me foi atribuída a confiança do conselho de bancos e do conselho federal (governo), é claro que empenho toda a minha energia para continuar a fazer o meu trabalho", afirmou Philipp Hildebrand
'Desde que me foi atribuída a confiança do conselho de bancos e do conselho federal (governo), é claro que empenho toda a minha energia para continuar a fazer o meu trabalho', afirmou Philipp Hildebrand FOTO: EPA

"Desde que me foi atribuída a confiança do conselho de bancos e do conselho federal (governo), é claro que empenho toda a minha energia para continuar a fazer o meu trabalho", afirmou Philipp Hildebrand, em conferência de imprensa em Zurique, na Suíça.  

"No plano pessoal, não me sinto enfraquecido", acrescentou, considerando as acusações como "um ataque pessoal".  

O homem forte da economia suíça explicou que teve de falar diante da imprensa para pôr fim a esta situação que veio a público no final de Setembro. Hildebrand disse ainda que pretende "voltar [o mais depressa possível] a fazer o seu trabalho".  

O jornal suíço ‘Weltwoche’ noticiou quarta-feira que a compra de 500 mil dólares no mercado de câmbios a 15 de agosto de 2011, três semanas antes da fixação de uma taxa mínima do franco suíço pelo banco central, foi ordenada por Hildebrand e não pela sua esposa, como tinha afirmado o banco central. 

De acordo com um relatório da empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers  (PwC) divulgado também na terça-feira pelo banco central da Suíça, foi a esposa de Hildebrand quem procedeu a esta operação e o seu marido só terá sido avisado no dia seguinte.  

Segundo o banco central suíço, o relatório da PwC "mostra que as últimas informações relativas às transacções da família Hildebrand em certos meios de comunicação social são parcialmente incorrectas e não contêm nenhum elemento que tenha escapado aos órgãos de controlo".  

O jornal ‘Die Weltwoche’, por seu lado, adianta que Hildebrand é "um especulador" do mercado de câmbios internacional, onde interveio por várias vezes no ano passado, citando nomeadamente uma compra de dólares no valor de 1,1 milhões de francos suíços (903 mil euros) em Março.  

A publicação, que diz ter acedido aos extractos das contas de Hildebrand, afirma ainda que o presidente do banco central suíço fez lucros de 62 mil euros na compra e depois na venda de 500 mil dólares (391 mil euros) entre 15 de Agosto e 4 de Outubro.  

suíça ataque pessoal banco central transacções philpp hildebrand
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)