Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
3

Presidente do BCP diz que não é momento de fusões

O presidente executivo do BCP disse esta quarta-feira que o actual contexto económico não é favorável a operações de fusão no sector bancário.
2 de Novembro de 2011 às 18:33
“Não é impossível fazer uma fusão no actual momento, mas é mais fácil fazê-lo em períodos de crescimento do que em recessão”, rematou
“Não é impossível fazer uma fusão no actual momento, mas é mais fácil fazê-lo em períodos de crescimento do que em recessão”, rematou FOTO: Paulo Duarte

“Uma fusão em Portugal, neste momento, arrisca-se a destruir uma quantidade razoável de valor se for feita entre bancos de grandes dimensões”, afirmou o banqueiro, lembrando que o “mercado português não está a crescer” e que as “sinergias traduzir-se-iam em encerramento de balcões e despedimentos”.

“Não é impossível fazer uma fusão no actual momento, mas é mais fácil fazê-lo em períodos de crescimento do que em recessão”, rematou.

Carlos Santos Ferreira disse ainda que, pessoalmente, não vê nenhum problema em ter o Estado como o accionista, caso o banco viesse a recorrer ao fundo de recapitalização. E afirmou que, se o Estado vier a reajustar as verbas do resgate de forma a injectar liquidez no sector empresarial público, a medida seria positiva.

bcp carlos santos ferreira recapitalização bancos banca fusões
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)