Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

PROCURA TURÍSTICA ESTÁ EM QUEDA

Muitos portugueses entram hoje de férias mas, a avaliar pela tendência desfavorável da actividade turística durante os primeiros quatro meses do ano, não se augura um Verão de 2002 com grandes resultados para os operadores de turismo.
30 de Junho de 2002 às 21:14
Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), as dormidas na hotelaria - hotéis, aparthotéis, apartamentos, aldeamentos turísticos, motéis, pousadas, estalagens e pensões - registaram uma descida de 4,9 por cento no primeiro quadrimestre deste ano, em relação a igual período de 2001.

No período em referência, o número de dormidas em estabelecimentos hoteleiros nacionais foi de oito milhões, tendo as receitas caído para 344,3 milhões de euros, representando uma redução homóloga de 1,6 por cento. Também as receitas de aposento baixaram 2,5 por cento, situando-se nos 226,8 milhões de euros.

Por regiões, as maiores quedas em Portugal foram sentidas em Lisboa e Vale do Tejo (11,6 por cento) e no Algarve (8,9 por cento). Por outro lado, registou-se uma subida nas dormidas de 14,7 por cento nos Açores, de 4,2 no Norte e de 3,7 na Madeira.

De Janeiro a Abril, os residentes em Portugal contribuíram com cerca de 2,5 milhões de dormidas, a maioria em hotéis (56,1 por cento), o que se traduziu num acréscimo de 0,4 por cento, face ao mesmo período de 2001. Quanto aos estrangeiros, as dormidas atingiram os 5,5 milhões de Janeiro a Abril, representando uma variação negativa de 7,1 por cento.
Ver comentários