Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

Recessão em Portugal em 2013 vai ser mais grave do que espera Governo

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) prevê que a economia portuguesa se contraia 1,8% em 2013, quase o dobro do que esperam o Governo e a troika (1%).
27 de Novembro de 2012 às 11:11
As previsões da OCDE põem em causa as metas traçadas por Vítor Gaspar, ministro das Finanças
As previsões da OCDE põem em causa as metas traçadas por Vítor Gaspar, ministro das Finanças FOTO: CM

A OCDE também prevê que o crescimento económico só regresse "no final de 2013", enquanto o Governo e a 'troika' (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) esperam que já no segundo trimestre do próximo ano a economia volte a crescer.

Estes dados constam de um documento de previsões económicas esta terça-feira divulgado pela OCDE.

A OCDE prevê, tal como o Governo, que o desemprego atinja um máximo histórico no próximo ano. A previsão da OCDE é, contudo, ainda mais gravosa: uma taxa de 16,9%, mais ainda que os 16,4% avançados pelo Governo.

Ao contrário do Executivo, a OCDE já avança previsões para 2014: uma ligeira recuperação de 0,9%, impulsionada pelas exportações e pelo investimento, com o consumo privado a permanecer retraído. O desemprego deverá reduzir-se apenas de forma muito ligeira (para 16,4%).

Como tem sido sistemático nos documentos de previsão das instituições internacionais, estes dados implicam uma revisão em baixa das perspectivas para Portugal relativamente aos números avançados pela OCDE em Julho.

E mesmo este cenário poderá voltar a agravar-se. A OCDE alerta para os "riscos" que subsistem, visto que a economia portuguesa "continuará sensível a novas deteriorações nas condições de crédito e das economias de outros países do euro".

OCDE CRISE RECESSÃO PREVISÕES
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)