Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Reembolsos de IRS devem começar no final da próxima semana

Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, está "convencido" que os contribuintes irão começar a receber os reembolsos de IRS no final da próxima semana.
Jornal de Negócios 8 de Abril de 2021 às 12:44
O confinamento fez com que os contribuintes tivessem menos despesas dedutíveis em IRS
António Mendonça Mendes
O confinamento fez com que os contribuintes tivessem menos despesas dedutíveis em IRS
António Mendonça Mendes
O confinamento fez com que os contribuintes tivessem menos despesas dedutíveis em IRS
António Mendonça Mendes
Os reembolsos de IRS deverão começar a chegar às famílias no final da próxima semana. Em entrevista ao Eco, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, diz estar "convencido de que a partir do final da segunda semana de abril" haverá  "condições de os contribuintes terem a evidência de que os reembolsos se vão começando a fazer como uma cadência bastante regular". 

O prazo para a entrega da declaração anual de IRS arrancou no passado dia 1 de abril e termina a 30 de junho. Desde então foram entregues 1,2 milhões de declarações, refere Mendonça Mendes. 

O governante admite ainda que "há factos objetivos" que levam a concluir que o reembolso médio deste ano "poderá ser menor", nomeadamente o ajustamento das tabelas de retenção e a redução do número de faturas registadas em setores como a educação, o "que se explica evidentemente com o confinamento".

Na mesma entrevista, Mendonça Mendes admite que o IRS automático poderá ser alargado a mais contribuintes, nomeadamente os recibos verdes. Este ano, o IRS automático abrange cerca de 250 mil trabalhadores independentes, ou seja, "apenas aqueles que passam os recibos exclusivamente através do portal das Finanças". O governante acredita que "esta é apenas a primeira etapa e que prosseguirá ao longo dos próximos tempos".

Mendonça Mendes refere que o IRS automático pode chegar a 3,6 milhões de agregados familiares, e que neste momento a utilização ronda os "1,6 ou 1,7 milhões".  

"Todos os anos seguramente haverá afinamentos para que mais pessoas, mais agregados, possam estar incluídos no IRS automático", conclui.

Ver comentários