Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

Relvas: “O Estado tem de custar menos”

O ministro-adjunto, Miguel Relvas, garantiu este sábado que Portugal vai cumprir este ano o défice de 5,9 por cento acordado com a troika, apesar da dívida pública da Madeira e do défice orçamental registado nos primeiros seis meses.
1 de Outubro de 2011 às 15:48
Miguel Relvas garantiu que Portugal vai cumprir meta do défice imposta pela troika
Miguel Relvas garantiu que Portugal vai cumprir meta do défice imposta pela troika FOTO: António José/Lusa

"Temos que atingir os nossos objectivos que são particularmente delicados. Portugal não pode errar e o Governo tem consciência disso, sabe que só muito rigor e exigência é que atingiremos os nossos objectivos", disse o governante. 

"Dia 15 de Outubro será apresentado o Orçamento de Estado para o próximo ano, em que ficará bem claro aquelas que são as linhas orientadoras, sabendo nós que Portugal tem de ter este ano um défice de 5,9 por cento e que vamos cumprir esse objectivo", disse o ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares à margem de uma sessão solene na Câmara de Poiares, antes de inaugurar um centro educativo naquele concelho.

No Orçamento de Estado, acrescentou, "há medidas de austeridade que têm de ser assumidas". Sem adiantar quais, Miguel Relvas destacou que o Governo já iniciou um processo de reformas que visa "emagrecer o Estado". 

"O Estado tem de custar menos, seja ele o central, regional ou local. Esse é um caminho sem retorno, de exigência, onde são pedidos sacrifícios aos portugueses, que vão continuar a ser pedidos, mas têm de ser para valer definitivamente", sublinhou.  

Segundo o governante, todo o território tem de "mudar de vida e viver com rigor, exigência e disciplina, porque os portugueses não podem continuar a pagar impostos como têm pago nos últimos anos".

miguel relvas ministro défice medidas austeridade poiares troika
Ver comentários