Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

Sal marinho vale um milhão anual

Sensibilizar a população portuguesa para o consumo de sal marinho tradicional é um dos objectivos dos responsáveis da uma nova unidade de transformação de sal artesanal que será inaugurada no próximo dia 8, em Olhão.
31 de Maio de 2011 às 00:30
Responsáveis da CCDR/Algarve e do PO Algarve visitaram várias firmas apoiadas por fundos comunitários
Responsáveis da CCDR/Algarve e do PO Algarve visitaram várias firmas apoiadas por fundos comunitários FOTO: Miguel Veterano Júnior

A nova unidade foi ontem visitada por João Faria, presidente da CCDR/Algarve e por elementos da Comissão Directiva do programa ‘PO Algarve 21’, que apoiou financeiramente o projecto.

As mil toneladas de sal tradicional e as 50 de flor de sal Marisol, a ser produzidas anualmente pela fábrica da Boer & Sibert, proporcionarão uma facturação anual de um milhão de euros. A maior parte, em exportações.

"Apenas 4% fica no mercado nacional", diz Andrea Sibert, sócia-gerente, que "lamenta" o facto de os portugueses não terem nos hábito alimentares o consumo do sal tradicional. "Um pacote custa 1,30 euros e dura vários meses", diz, satisfeita, porque os portugueses já vão valorizando a flor de sal.

No âmbito do ‘PO Algarve 21’ "foram atribuídos a 135 projectos 31 milhões de euros provenientes de fundos comunitários. Destes, 80% foram concedidos aos sectores do turismo, serviços e comércio", disse João Faria. Na última semana a comitiva visitou ainda a Vidreira Algarvia (Mexilhoeira Grande), o Spast Grupo Elis (Algoz), a Visualforma (Faro) e e a Flesk (Areal Gordo, em Faro).

SAL MARINHO EMPRESA FUNDOS COMUNITÁRIOS OLHÃO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)