Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Salgado critica Fernando Ulrich

Ricardo Salgado criticou ontem Fernando Ulrich, presidente do BPI, por este ter tecido considerações negativas à actuação do Banco de Portugal (BdP) nas investigações do BCP. “Não percebo o porquê das declarações de Ulrich”, disse o presidente do Conselho Executivo do BES.
29 de Janeiro de 2008 às 00:30
Fernando Ulrich tinha acusado as autoridades reguladoras de terem actuado mal e tardiamente nas investigações ao BCP, declarando esperar ao mesmo tempo que o ocorrido sirva de exemplo e “que este tipo de situações não se repita”. Apesar da chuva de reparos, o líder do BPI, não veio exigir a demissão do governador do BdP, Vítor Constâncio, nem de Carlos Tavares, presidente da CMVM, tendo apenas dito que errar é humano.
Foi face a estas afirmações que Ricardo Salgado, presidente do BES, se insurgiu, questionando o porquê das mesmas. Salgado afirmou que a supervisão que é feita em Portugal “é tão ou mais rigorosa que aquela a que se assiste lá fora”, isto é, nas mais proeminentes praças mundiais, como Londres, Paris e Nova Iorque. Contudo, ressalvou que é necessário que a supervisão evolua a nível internacional,
Aparte polémicas, o BES apresentou um resultado de exercício recorde de 607,1 milhões de euros, que significa um crescimento de 44,3% face a 2006. Congratulando-se pela excelente situação em que se encontra o banco, Salgado mostrou-se optimista face aos próximos três anos, falando em “dinâmica na estabilidade” como marca da política do grupo. O BES anunciou que vai propor à Assembleia Geral o pagamento de um dividendo por acção de 48 cêntimos.
BPI QUER SAIR DO CAPITAL DA ALLIANZ
Para lá de polémicas, Fernando Ulrich, presidente do BPI, declarou ontem que o banco está a estudar a eventual realização de um aumento de capital, bem como a venda de activos. A revelação surgiu na conferência de imprensa ao início da tarde, num momento em que as acções do BPI se encontravam cotadas nos 3,56 euros, nove pontos percentuais abaixo dos 3,91 euros a que fecharam na quinta-feira.
Para além do aumento de capital, o BPI está a estudar a venda à Allianz dos 35% que detém na Allianz Portugal, e a alienação de parte de capital do BFA a investidores angolanos. Estas operações têm, segundo Ulrich, o objectivo de reforçar o rácio de capital Core Tier 1 de 5 para 5,5%.
A capitalização bolsista do banco ronda actualmente os 2,705 mil milhões de euros, abaixo dos mais de quatro mil milhões de euros registados no fecho de 2007. Esta desvalorização é fruto da assombrosa quebra de 35% das acções do BPI, que findaram o ano a valer 5,36 euros cada.
RESULTADOS DO EXERCÍCIO DE 2007
BPI
O BPI anunciou um resultado líquido de 355,1 milhões de euros em 2007, um crescimento de mais de 15% face ao exercício de 2006. Já os custos aumentaram em 13,3% para os 653 milhões de euros.
BES
O BES divulgou um resultado recorde de 607,1 milhões de euros no exercício de 2007, um crescimento de 44,3% face a 2006. O banco anunciou também a redução do ‘cost to income’ para 47,5%, o melhor em Portugal.
OUTROS
O Santander e o Millennium BCP ainda não apresentaram resultados oficiais. O BCP guarda para o dia 19 de Fevereiro a apresentação do balanço de 2007, já o Santander ainda não avançou qualquer data.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)