Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

SCHROEDER DEFENDE FLEXIBILIDADE

O chanceler alemão, Gherard Schroeder, considera que uma "interpretação unilateral" do pacto de estabilidade não é adequada, em entrevista à edição de ontem do diário “Tagesspiegel”.
28 de Outubro de 2002 às 00:01
Schroeder recordou que o presidente da Comissão Europeia, Romano Prodi, considerou que era "estúpido" o pacto não ter suficiente flexibilidade, acrescentando: "Eu, como sou um homem discreto, digo apenas que a interpretação unilateral do pacto não é adequada".

"Somos pelo respeito pelo pacto de estabilidade e vamos proceder em conformidade", salientou o chanceler alemão, que defende, no entanto, uma leitura flexível do pacto, que permita ligar a redução do défice ao crescimento económico. Schroeder perguntou porque se fala unicamente do défice orçamental e não da questão do endividamento e sublinhou que a questão da inflação é também importante.
Ver comentários