Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

Sector Metalomecânico e metalúrgico "é uma das espinhas dorsais da economia portuguesa"

O presidente da Agência para Investimento e Comércio Externo de Portugal considerou esta quinta-feira que o sector metalomecânico e metalúrgico é "uma das espinhas dorsais da economia portuguesa".


28 de Junho de 2012 às 09:55
Pedro Reis é o presidente da Agência para Investimento e Comércio Externo de Portugal
Pedro Reis é o presidente da Agência para Investimento e Comércio Externo de Portugal FOTO: d.r.

Pedro Reis falou à Lusa um dia depois de ter efectuado uma visita à Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal (AIMMAP).

Na quarta-feira, a associação divulgou que as exportações deste sector cresceram 13,3 por cento nos primeiros quatro meses do ano, face a igual período de 2011.

"Tudo o que conseguimos capitalizar e potenciar em termos de internacionalização tem impacto directo na nossa competência internacional", disse.

Para o presidente da AICEP, "há poucos sectores como este que abranjam o conceito dos três i: industrialização, inovação e internacionalização".

O sector metalomecânico e metalúrgico inclui um universo de 23 mil empresas, 223 mil trabalhadores, um volume de negócios de cerca de 26 mil milhões de euros, dos quais 12 mil milhões são exportações, ou seja, 46 por cento do valor do negócio.

"Este é um sector que é preciso acarinhar, a que é preciso dar visibilidade e que pode ser uma das plataformas e âncoras da nossa exportação de alto valor acrescentado", apontou o executivo.

"Não existem economias sólidas e com futuro sem indústria robusta e não há indústria robusta sem um sector como o metalomecânico e metalúrgico sofisticado".

Na visita que a AICEP fez à associação, os responsáveis apresentaram à entidade um projecto da AIMMAP de se instalar no Brasil para ser incubadora de empresas deste sector numa fase inicial, no sentido de dar apoio jurídico, fiscal, contabilístico ou técnico.

"A AICEP viu com muito bons olhos e dará a mão ao desenvolvimento e projecto deste sector", disse Pedro Reis.

Também em declarações à Lusa, o presidente da direcção da AIMMAP, Aníbal Campos, destacou que a metalurgia e metalomecânica "é o mais importante sector exportador da economia portuguesa" e lembrou que as vendas ao exterior cresceram 18 por cento no ano passado, face a 2010.

"Essa trajectória ascendente tem prosseguido nos primeiros quatro meses do presente ano de 2012", com as exportações a aumentarem mais de 13 por cento, disse, acrescentando que "é importante assinalar que tal crescimento tem sido especialmente relevante no espaço exterior à União Europeia".

Segundo Aníbal Campos, este desempenho deve-se a três vectores: "excelente relação qualidade/preço dos produtos e serviços disponibilizados pelas empresas ao mercado", "a existência de uma estratégia para o sector, assente essencialmente numa aposta consolidada na diferenciação" e "o apoio esclarecido e empenhado da AICEP, a qual tem sabido ser cada vez mais um excelente interlocutor das inúmeras empresas exportadoras deste sector de referência".

Indústriainvestimentocomércio
Ver comentários