Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Sindicato da CGD contra cortes salariais

O Sindicato dos Trabalhadores do Grupo Caixa Geral de Depósitos considerou esta terça-feira "injusto e inaceitável" que os trabalhadores fiquem sujeitos aos cortes salariais da função pública devido a uma alteração prevista na proposta do Orçamento do Estado.
13 de Novembro de 2012 às 09:31
Sindicato promete lutar contra fim da excepção
Sindicato promete lutar contra fim da excepção FOTO: Pedro Catarino

Em declarações à agência Lusa, Manuela Graça, membro da direcção do Sindicato dos Trabalhadores do Grupo Caixa Geral de Depósitos, disse que apesar de os cortes serem "injustos", não "são uma novidade" para o sindicato, mas sim uma reafirmação do que o ministro das Finanças já havia dito e que também consta na proposta do Orçamento do Estado para 2013.

"São cortes injustos e é por isso que vamos continuar a lutar contra eles a começar já por amanhã [quarta-feira) na greve geral", frisou.

Os trabalhadores da CGD e da TAP vão ficar sujeitos aos cortes salariais da função pública em 2013 devido a uma alteração prevista na proposta de Orçamento para o próximo ano que acaba com o regime de exceção em vigor.

"Os regimes de adaptações referidos não se aplicam em 2013", disse à Lusa fonte oficial do ministério das Finanças em relação à alteração feita à norma que permitia que os trabalhadores da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e da TAP não ficassem sujeitos ao corte médio de 5% para todos os trabalhadores da função pública e empresas maioritariamente públicas com salários brutos acima dos 1 500 euros.

CGD Cortes Austeridade Salários Banca
Ver comentários