Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

Sindicatos contra uso de fundos para salários

Patrões dispostos a aumentar ordenados se contribuições para indemnizações forem reduzidas.
Salomé Pinto 10 de Novembro de 2019 às 10:12
Patrões e sindicatos não se entendem quanto à forma de assegurar a progressão dos salários mínimo e médio
Patrões e sindicatos não se entendem quanto à forma de assegurar a progressão dos salários mínimo e médio FOTO: Lusa
Os sindicatos rejeitam a proposta da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) de aumentar os salários, mínimo e médio, como pretende o Governo, à custa da redução ou suspensão das contribuições para os dois fundos de compensação de trabalho.

"Os salários não podem servir de moeda de troca para as empresas deixarem de descontar para os fundos que garantem o pagamento das indemnizações por despedimento", afirmou ao CM o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos. Para além disso, "o dinheiro desses fundos é dos trabalhadores e não dos patrões", acrescenta. Também José Abraão, do secretariado nacional da UGT, considera que "não faz sentido que as empresas deixem de contribuir". "O aumento dos salários não pode ser feito sacrificando o trabalho", acrescenta e sugere "que se encontre outra forma para compensar as empresas, nomeadamente através de apoios do Estado".

O líder da CIP, António Saraiva, propõe a suspensão temporária das contribuições e depois a sua redução de 1% para 0,3% do valor da remuneração de cada trabalhador. Outra das confederações vai mais longe e sugere o fim desses fundos com a prova de reservas bancárias à Segurança Social.

PORMENORES
363 milhões de euros
Desde 2013 que as empresas passaram a descontar para dois fundos de compensação do trabalho que já atingiram mais de 363 milhões de euros.

Proposta da UGT
Os dois fundos foram criados em concertação social por proposta da UGT, em 2012, na altura liderada por João Proença.

Para indemnizações
O Fundo de Compensação do Trabalho e o Fundo de Garantia de Compensação do Trabalho servem de almofada para pagamento de indemnizações por despedimento.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)