Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Sonaecom perde milhões

O fracasso da Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Portugal Telecom (PT) e PT Multimédia (PTM) já custou perto de 619 milhões de euros à Sonaecom na Bolsa de Lisboa desde a passada quinta-feira, quando o desfecho da operação era ainda uma incógnita. As acções da empresa do grupo de Belmiro de Azevedo desvalorizaram fortemente nas últimas duas sessões.
6 de Março de 2007 às 00:00
Belmiro de Azevedo e Paulo Azevedo viram as acções da Sonaecom desvalorizarem fortemente na Bolsa
Belmiro de Azevedo e Paulo Azevedo viram as acções da Sonaecom desvalorizarem fortemente na Bolsa FOTO: Egídeo Santos / Jornal de Negócios
A empresa dirigida por Paulo Azevedo terminou o dia de quinta-feira nos 5,52 euros por acção, desvalorizando na sexta-feira 12,38 por cento, reflectindo já as expectativas do mercado em relação ao desfecho da assembleia geral de accionistas da Portugal Telecom que, já depois do fecho da Bolsa, acabou por reprovar a OPA.
Ontem, as acções da Sonaecom perderam mais 16,49 por cento, terminando a sessão nos 4,61 euros por acção. Quer isto dizer que desde quinta-feira, cada acção da Sonaecom já desvalorizou 1,70 euros.
A empresa de Paulo Azevedo não foi, porém, a única a perder com a OPA. As acções da casa-mãe, a Sonae SGPS, controlada por Belmiro de Azevedo, recuaram ontem 1,27 por cento, fechando nos 1,56 euros por título.
A PT também reagiu em queda ao fim da OPA, mas as acções da maior operadora nacional de telecomunicações permanecerem acima dos 9,50 euros, aquela que foi a primeira oferta de Paulo Azevedo sobre os títulos da empresa. As acções da empresa dirigida por Henrique Granadeiro caíram 3,03 por cento, para os 9,60 euros. A última oferta da Sonaecom era de 10,50 euros por acção da PT, valor que nunca chegou a ser atingido.
As cotações de ontem terão sido suportadas pelo plano delineado por Granadeiro para se defender da OPA, no âmbito do qual prometeu comprar acções próprias por um valor máximo de 11,50 euros até 16,5 por cento do capital da Portugal Telecom ou superior caso os títulos fossem adquiridos por um preço mais baixo. Granadeiro comprometeu-se ainda a pagar dividendos no valor de 47,5 cêntimos por acção este ano e de 57,5 cêntimos por acção nos próximos dois anos.
PT MULTIMÉDIA VALORIZA 3,20%
Das quatro empresas envolvidas na OPA apenas a PT Multimédia (PTM) beneficiou com o desfecho da operação. A empresa terminou a sessão de ontem a valorizar 3,20 por cento para os 10,96 euros por acção. Um factor de sustentação das acções da PTM terá sido a especulação segundo a qual a empresa que controla a TV Cabo pode vir a ser alvo de uma nova Oferta Pública de Aquisição (OPA) por parte da Sonaecom. A valorização terá sido também suportada pelas notícias de que a prometida separação (‘spin-off’) das redes PT e PTM irá ocorrer até final do ano. Com esta separação, a PT Multimédia passará a ser uma empresa independente da PT, oferecendo serviços de telefone, internet e televisão por cabo. No processo de separação, cada accionista da Portugal Telecom receberá quatro acções da PTM por cada 25 títulos da PT que tiver em seu poder.
AZEVEDO VIRA-SE PARA O GOVERNO
Lamentando a impossibilidade de a OPA chegar “verdadeiramente ao mercado”, a Sonaecom considerou ontem que o Governo tem agora uma responsabilidade acrescida. “Ao Governo incumbe uma especial responsabilidade. Tendo preferido o outro projecto, assumindo que as vantagens para os consumidores seriam em qualquer caso alcançadas, fica publicamente ainda mais comprometido: cabe-lhe, de modo ainda mais premente, assegurar que a PT se disponha realmente a competir num mercado aberto”, lê-se num comunicado emitido ontem pela empresa de Paulo Azevedo. Na comunicação, a Sonaecom promete ficar “vigilante” e exigir ao regulador e ao Governo “o desempenho de uma tarefa de fiscalização” para garantir a “total separação das redes” e a criação de concorrência no acesso aos conteúdos.
REACÇÕES
VIVO DESVALORIZA
Os títulos da Vivo desvalorizaram mais de quatro por cento no início da negociação do mercado de capitais brasileiro. Os investidores vêem diminuídas as expectativas de a Telefonica adquirir o controlo da operadora, dada a posição de não vendedora da Portugal Telecom.
SONAECOM A CAIR
O BPI considera que as acções da Sonaecom têm um potencial de desvalorização de vinte por cento, depois de falhada a OPA sobre a PT e mesmo com a aquisição da PT Multimédia. O título deverá corrigir para perto do valor justo, de 4,53 euros.
BES FICA NA PT
O presidente do BES, Ricardo Salgado, disse ontem que vai ficar na Portugal Telecom como accionista de longo prazo. O banco, um dos accionistas de referência da PT com uma participação de 8,08%, “pretende continuar na PT como investidor de longo prazo”, sublinhou.
EVOLUÇÃO DA COTAÇÃO (5 DE MARÇO DE 2007)
VALORES EM EUROS
Portugal Telecom
Abertura: 9,64
Fecho: 9,60
Variação: - 3,03%
PT Multimédia
Abertura: 10,55
Fecho: 10,96
Variação: 3,20%
Soane SGPS
Abertura: 1,48
Fecho: 1,56
Variação: - 1,27%
Sonaecom
Abertura: 4,70
Fecho: 4,61
Variação: - 16,49%
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)