Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

SOUSA FRANCO CRITICA POLÍTICA ECONÓMICA DO GOVERNO

O ex-ministro das Finanças no primeiro governo de António Guterres, Sousa Franco, criticou a obsessão mostrada pela coligação governamental PSD/CDS-PP com o défice, que no seu entender só tem servido para destruir a economia portuguesa.
4 de Novembro de 2003 às 10:46
SOUSA FRANCO CRITICA POLÍTICA ECONÓMICA DO GOVERNO
SOUSA FRANCO CRITICA POLÍTICA ECONÓMICA DO GOVERNO
SOUSA FRANCO CRITICA POLÍTICA ECONÓMICA DO GOVERNO
SOUSA FRANCO CRITICA POLÍTICA ECONÓMICA DO GOVERNO
SOUSA FRANCO CRITICA POLÍTICA ECONÓMICA DO GOVERNO
SOUSA FRANCO CRITICA POLÍTICA ECONÓMICA DO GOVERNO
Sousa Franco participou segunda-feira numa conferência sobre o Orçamento de Estado (OE) promovida pelo Partido Socialista, em que acusou a actual ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e o governo de faltarem à verdade em matéria de orçamento. Para o ex-titular da pasta das Finanças, a proposta de OE para 2004 não é um orçamento de consolidação, mas sim de austeridade orçamental.
“Eu nunca tive nenhuma obsessão pelo défice e no entanto, quando o primeiro governo do engenheiro António Guterres iniciou funções, a média anual do défice era de 5,9 por cento do Produto Interno Bruto. Passados quatro anos, era de 2,8 por cento. Portanto, sem obsessão pelo défice é possível reduzir o défice. Com a obsessão do défice, é possível dar cabo da economia. É a lição que tiramos”, assinalou Sousa Franco em declarações à rádio TSF.
Ver comentários