Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

SOUSA SEM REFORMA DA CGD

O ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos António de Sousa garantiu esta segunda-feira, em comunicado, que não vai auferir qualquer pensão de reforma da instituição e que não tem direito a indemnização por ter sido ele próprio a solicitar a demissão.
27 de Setembro de 2004 às 13:04
O comunicado serve para esclarecer repetidas notícias sobre reformas dos administradores da CGD, de entre as quais se destaca a pensão de reforma de 18 mil euros atribuída a Luís Mira Amaral, que partilhava com António de Sousa a anterior presidência 'bicéfala' da instituição financeira estatal.
António de Sousa aufere uma pensão de cerca de 7 mil euros do Banco de Portugal, devido a 23 anos de descontos no banco central português.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)