Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Standard & Poor’s sobe rating de Portugal

Agência de notação financeira S&P reviu em alta a classificação da dívida soberana de longo prazo de Portugal, para dois níveis acima de lixo.
15 de Março de 2019 às 21:39
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro

A S&P subiu o rating de Portugal em um nível, de BBB- para BBB, que passou assim para o penúltimo grau da categoria de investimento de qualidade.

Depois de a Moody’s ter deixado o rating da dívida portuguesa inalterado, no passado dia 15 de fevereiro, os especialistas contactados pelo Negócios estavam convictos de que Portugal poderia ver hoje a sua primeira mexida do ano. E assim foi.

A expectativa era sustentada pela evolução positiva do país, num momento em que outros mercados da periferia, como Espanha e Itália, enfrentam focos de instabilidade.

Além disso, o "outlook" (perspetiva) para a dívida portuguesa atribuído pela S&P era ‘positivo’, o que reforçava a ideia de que poderia haver uma subida da classificação soberana. A perspetiva, aliás, passou agora para 'estável'

"Esta decisão reflete o reconhecimento de importantes transformações estruturais na economia nacional e da melhoria das contas públicas. Trata-se de uma decisão que contribui para reforçar a confiança dos investidores e a credibilidade externa de Portugal, com impacto direto nos custos de financiamento das famílias, das empresas e do Estado", sublinhou em comunicado o Ministério das Finanças, reagindo assim a esta melhoria da notação.

Próximas avaliações

Há um mês, a Moody’s manteve a dívida de Portugal no último último nível do grau de investimento de qualidade – 'Baa3' – e com uma perspetiva ‘estável’. 

De acordo com o calendário da atualização dos ratings previsto para 2019, a Moody's tem agendada uma segunda possível avaliação de Portugal a 9 de agosto.

Já a S&P, depois de hoje, poderá pronunciar-se a 13 de setembro.

A Fitch, por seu lado, tem agendada a primeira avaliação do ano para 24 de maio e a segunda para 22 de novembro. Esta agência é a que, de entre as três maiores do mundo, dá melhor nota a Portugal – BBB, penúltimo nível de investimento de qualidade – e com uma perspectiva ‘estável’.

A canadiana DBRS (que também coloca a dívida portuguesa no penúltimo grau) poderá avaliar Portugal a 5 de abril e a 4 de outubro. Enquanto foi a única agência que mantinha Portugal acima de lixo, a DBRS tinha o poder de ligar ou desligar Portugal da máquina do Banco Central Europeu (BCE), uma vez que era a única que garantia a elegibilidade da dívida nacional para os programas de compra do BCE.

Investimento de qualidade nas principais agências

No passado dia 12 de outubro, recorde-se, a Moody’s retirou Portugal do chamado "lixo", tendo sido a última agência a fazê-lo.

Ou seja, sete anos e três meses depois de ter colocado a dívida soberana portuguesa no patamar de investimento especulativo, a Moody's retirou-a dessa categoria.

A Standard & Poor’s e a Fitch já tinham retirado Portugal de "junk" em 2017, em setembro e em dezembro, respectivamente, ao passo que a canadiana DBRS manteve sempre o país acima desse patamar.

A decisão da Moody's, em outubro de 2018, fez com que as três principais agências de rating do mundo passassem a ter a dívida portuguesa no grau de investimento de qualidade. 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)