Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

TAXA DE JURO EM 2,5%

O Banco Central Europeu desceu ontem 25 pontos de base a principal taxa de juro, que está agora em 2,5 por cento. Descida essa antecipada ao nosso jornal, no passado domingo, por João Queirós, da corretora Finanser, e por José Garcia, da BNC Corretagem.
7 de Março de 2003 às 00:00
Os principais beneficiados desta redução do custo do dinheiro são os subscritores de crédito à habitação. Senão vejamos a simulação feita, a pedido do nosso jornal, por Gonçalo Correia, especialista da DECO PROTESTE. Para um empréstimo de cem mil euros, com maturidade de 20 anos, no mês passado, a prestação era de 592,89 euros (valor indexante à euribor a seis meses de 2,75 por cento mais um por cento de margem bancária). A partir de agora, a prestação é de 579,96 euros, menos 12,93 euros, porque o valor indexante à euribor a seis meses desce para 2,5 por cento. A esta taxa acresce o mesmo um por cento de margem bancária.

Segundo Gonçalo Correia, a decisão de ontem da instituição presidida por Wim Duisenberg “já estava descontada.” É que “grande parte das taxas euribor, em todos os prazos, já andavam em torno destes 2,5 por cento” fixados ontem. Ou seja, “o mercado já antecipara o corte.”

Do dinheiro mais barato na zona do euro beneficiam também as empresas que tenham contraído empréstimos, porque ficam com prestações mais baixas. Só que isto não deve ser visto assim de modo tão linear. Conforme já alguns analistas afirmaram ao nosso jornal, entre os quais Carlos Firme, administrador da corretora Título, “há empresas que se endividam ainda mais.” Assim opinou o responsável da corretora do Finibanco a propósito da descida da principal taxa de juro norte-americana para 1,25 por cento, no dia 6 de Novembro do ano passado. Ou seja: baixa-se a taxa de juro com o objectivo de revitalizar a economia. Mas esta via já foi rotulada de balão de oxigénio por Carlos Firme, pois não fez a maior economia recuperar. Recorde-se que, em 2001, a Reserva Federal baixou os juros 11 vezes.

CONSEQUÊNCIAS

EURO FORTE

A moeda europeia ultrapassou anteontem a barreira psicológica de 1,10 dólares. Ontem, apesar de o BCE descer a taxa de juro directora de 2,75 para 2,5 por cento, o euro aguentou-se. O presidente do BCE está contente, porque tal cotação “reflecte melhor a economia europeia.”

DEPÓSITOS

Os melhores depósitos são, na banca tradicional, o Imoprazo, do BNC (2,7 por cento) e a Conta MG 24, do Montepio Geral (2,2 por cento). Na banca digital, os melhores são o NET Prazo, do BNC (2,5 por cento) e o Superdepósito, do Bigonline (três por cento). Assim apurou a DECO.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)