Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Taxas de juro caem 13,8% no último ano

Valor médio do capital dos contratos dos últimos três meses é de cerca de 105 mil euros.
Raquel Oliveira 22 de Outubro de 2019 às 08:00
Casas em Lisboa
Casas em Lisboa
Casas em Lisboa
Lisboa
Lisboa
Casas em Lisboa
Casas em Lisboa
Casas em Lisboa
Lisboa
Lisboa
Casas em Lisboa
Casas em Lisboa
Casas em Lisboa
Lisboa
Lisboa
Os portugueses continuam a beneficiar da redução de taxas de juro mas estão a pedir mais dinheiro para a compra de casa, de acordo com dados publicados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Num ano, a taxa de juro implícita caiu, para os novos contratos, 13,8%.

A taxa de juro dos contratos dos últimos três meses do crédito à habitação desceu, em setembro, de 1,293% para 1,237%. Há um ano fixa-se em 1,435%, segundo dados recolhidos pelo INE e que mostram uma redução acentuada num ano.

Em termos práticos, o valor médio da prestação diminuiu cinco euros, para 327 euros, para um valor médio do capital em dívida em setembro de 105 078 euros, mais 2923 euros do que em agosto.

Já os dados estatísticos referentes a todos os contratos mostram que a taxa de juro implícita aplicada na habitação em setembro foi de 1,065%, também mais baixa do que os 1,077% do mês anterior. Em setembro, o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos subiu 157 euros face ao mês anterior, fixando-se em 53 213 euros.

O valor médio da prestação manteve-se, no mês passado, em 247 euros. Deste valor, 47 euros (19%) correspondem a pagamento de juros e 200 euros (81%) a capital amortizado. Há um ano a prestação média destes contratos era de 242 euros, ou seja, menos cinco euros.

46% do rendimento das famílias da Grande Lisboa vai para a renda
Quarenta e seis por cento do rendimento das famílias da Área Metropolitana de Lisboa é para pagar a renda de casa. Esta é uma das principais conclusões de um estudo da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova sobre o esforço das famílias para pagar habitação, que atinge quer o arrendamento quer a compra de casa.

Neste último caso, a taxa de esforço das famílias com o crédito à habitação atinge 58% na capital, 53% em Cascais e 44% em Oeiras.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)