Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Taxas justificam preço do petróleo

O presidente em exercício da OPEP, Chakib Khelil, responsabilizou esta segunda-feira as elevadas taxas europeias, a crise dos Estados Unidos e a ameaça norte-americana ao Irão pela actual alta do preço dos combustíveis nos mercados internacionais.
9 de Junho de 2008 às 13:20
Chakib Khelil aponta problemas do mercado
Chakib Khelil aponta problemas do mercado FOTO: d.r.

Na próxima reunião de 9 de Setembro, a OPEP fará uma análise detalhada sobre a situação do mercado internacional e tomará decisões “para equilibrar o sistema”.

“Neste momento, parece-nos que os stocks estão a níveis aceitáveis, que não há um problema de produção, mas que se verifica um problema, isso sim, de comercialização”, afirmou Khelil, que também é ministro da Energia da Argélia, à margem da II Cimeira Luso Argelina.

O responsável descartou qualquer responsabilidade da OPEP no aumento do preço do petróleo. “Os actuais problemas nada têm a ver com qualquer questão de oferta e procura”, reforçou, recordando que na última semana, em que o dólar se fixou em 1,54 por euro e “e em que houve estabilidade na política internacional”, o preço do ‘ouro negro’ caiu de 135 para 120 dólares.

Para explicar o elevado preço da gasolina nos mercados europeus, que tem motivado inúmeros protestos de vários sectores da economia, Khelil apontou “as fortes taxas aplicadas aos produtos petrolíferos”.

“Por exemplo, na Europa, o preço final da gasolina chega a incorporar mais de 80 por cento de taxas. Na maioria dos casos, o preço do petróleo apenas contribui em 25 por cento para o valor final dos combustíveis, que têm em média taxas na ordem dos 65 por cento”, disse.

O presidente sublinhou ainda que o preço do crude “não é controlado por um só país do mundo ou pela OPEP” e justificou que a organização de reúne os países produtores “apenas controla 40 por cento da produção mundial”. “É o mercado quem decide o preço final do petróleo”, concluiu,

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)