Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

“Transportes públicos já estão no limite”

Amável Alves, Coordenador da Federação dos Sindicatos dos Transportes, reage à reestruturação no sector
25 de Outubro de 2011 às 01:00
“Transportes públicos já estão no limite”
“Transportes públicos já estão no limite”

Correio da Manhã – O secretário de Estado dos Transportes avisou que o Governo não está disposto a manter empregos que não se justifiquem no sector dos transportes. Que comentário lhe merece?

Amável Alves – Não se justifica essa afirmação até porque o sector público de transportes está no limite do ponto de vista do número de trabalhadores. Ao contrário do que tem sido dito, nos últimos anos houve políticas de redução de pessoal que atingiram milhares de trabalhadores. Hoje pode-se dizer que se está no limite da operacionalidade.

– O que poderá acontecer se o aviso se concretizar?

– Isso teria consequências na redução de serviços, tal como já acontece no Interior do País, onde quase não existe oferta pública. Se se quer reduzir mais, daqui a pouco não haverá serviços públicos de transportes, o que quer dizer que se limita o direito à mobilidade.

– O secretário de Estado admitiu ainda que o Governo poderá denunciar acordos de empresa. O que pensa desta hipótese?

– Vamos esperar e ver o que Governo vai fazer: se vai impor a sua vontade de forma autoritária e passar por cima das relações de trabalho, ou não.

– Se esse for o caminho, o que podem os trabalhadores fazer?

– Os trabalhadores não vão aceitar atitudes prepotentes. Há sinais de um enorme descontentamento e os trabalhadores, vão paralisar, sectorialmente, no dia 8 de Novembro. É preciso ver que os trabalhadores do sector público de transportes suportam todas as medidas: os aumentos que são para todos, depois ainda levamos com o roubo dos subsídios de Natal e de Férias, ou seja, as medidas que se aplicam à Administração Pública, e ainda suportamos as medidas específicas para o sector.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)