Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

UGT com julgamento adiado

A primeira sessão do julgamento do caso UGT, que deveria ter lugar ontem de manhã, voltou a ser adiada. Desta feita por não terem comparecido à sessão dois arguidos: Luís Rodrigues Alves e Manuel Campos Silvestre.
29 de Setembro de 2006 às 00:00
Torres Couto quer que o 'julgamento avance'
Torres Couto quer que o 'julgamento avance' FOTO: António Cotrim/Lusa
A decisão de adiamento, para 20 de Outubro, partiu do colectivo de juízes do Tribunal da Boa-Hora, em Lisboa. João Felgar, presidente do colectivo, explicou que, uma vez que neste caso é aplicado o Código de Processo Penal de 1998, o julgamento não pode ter início sem a presença de todos os arguidos.
À saída do Tribunal, Torres Couto, ex-secretário-geral da UGT, mostrou-se incomodado com mais um adiamento. “Tenho um desejo ardente que o julgamento avance”, disse. “Estou há 18 anos a ser vítima de um processo e, por causa dele, deixei todas as minhas funções. Tenho direito a ser julgado”, reiterou.
João Proença, secretário-geral da UGT, voltou a frisar que a culpa deste processo ainda não ter acabado é do Ministério Público que, ao ter pedido recurso, “fez o processo voltar ao início”.
Ver comentários