Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
3

Ulrich estranha negociações antes da apresentação do Orçamento de Estado

O presidente do BPI considera “estranho” que os partidos da oposição estejam a negociar o Orçamento de Estado quando o documento final ainda não foi apresentado. “Se eu fosse um partido da oposição só discutiria depois de conhecer o Orçamento”, afirmou Fernando Ulrich hoje à noite em entrevista à SIC Notícias.
21 de Janeiro de 2010 às 00:05
Fernando Ulrich, presidente do BPI
Fernando Ulrich, presidente do BPI FOTO: agências

O banqueiro admite contudo que sempre esteve confiante de que haveria acordo mas salienta algumas dificuldades que se colocam no campo das finanças públicas. “Reduzir a dívida em 2010 é muito difícil, se não impossível”, garantiu. Para Ulrich, a estratégia a adoptar é a de uma trajectória que mostre que Portugal está empenhado em solucionar os problemas que tem em termos orçamentais. “Não nos podemos dar ao luxo de perder a confiança dos credores”, disse, avançando ainda que o primeiro passo deve ser dado “cortando na despesa”.

 

O responsável do BPI admitiu ainda que ficou surpreendido pelo valor que a Caixa Geral de Depósitos injectou no Banco Português de Negócios (BPN) – 4190 milhões de euros – criticando o tempo que todo este processo tem demorado. “É um valor enorme”, frisou

 

Já no campo da política, instado a comentar se acredita que o Governo irá cumprir os quatro anos da legislatura, Fernando Ulrich referiu que “Um governo não cai empurrado pela oposição ou pelo Presidente da República. Cai porque quer sair”, exemplificando que já houve primeiros ministros que se demitiram.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)