Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

USADAS ESCAPAM À CRISE

A ‘N Propriedades’ é uma mediadora imobiliária que não está a sentir os efeitos da contracção do mercado habitacional. A empresa trabalha essencialmente no mercado de usados e, nos últimos meses, até tem sentido uma certa dinamização no segmento de negócios em que se insere.
11 de Maio de 2003 às 00:00
A manutenção das transacções da mediadora tem a ver com o facto de o mercado das casas usadas sofrer “menos que o das casas novas”, como disse em declarações ao Correio da Manhã o presidente da Associação das Mediadoras Imobiliárias de Portugal (AMIP), Manuel Negrão.
A principal justificação reside no facto de os preços das casas usadas serem “melhores”, refere, ao acrescentar que as necessidades dos consumidores também influenciam o andamento das vendas: “As pessoas que há uns anos compraram casas novas e, entretanto, por qualquer motivo, quiseram trocar de habitação precisam de vender as anteriores.
“Entre pedir um financiamento e ficar a pagar ou vender a casa, embora perdendo algum dinheiro em relação ao que esperava conseguir, estão mais susceptíveis para baixar o preço”, acrescenta o responsável.
Além destas razões, Maria Naír Almeida, proprietária da ‘N Propriedades’, acrescenta que há também quem compre “usados por opção. Muitas vezes não é por ser mais barato. Geralmente, a nossa empresa trabalha dentro da cidade de Lisboa, nas chamadas zonas antigas ou bairros históricos, que são, geralmente, áreas nobres. “Querendo comprar em certas zonas, não têm alternativa” por nelas não existir construção nova, acrescenta a empresária.
Contudo, nas habitações usadas coloca-se sempre a dúvida quanto às condições de habitabilidade que apresentam. Apesar de reconhecer que em muitos casos os proprietários se endividaram para pagar o imóvel e depois ficaram sem dinheiro para fazer uma manutenção eficiente, Manuel Negrão considera que “as casas que se encontram no mercado estão em bom estado”. Para a rápida degradação dos imóveis terá contribuído, de forma acentuada, a má qualidade da construção em Portugal nos últimos anos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)