Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

Vendas automóveis devem cair 20% este ano

As vendas dos automóveis ligeiros em Portugal deverão cair este ano mais de 20 por cento, mas já a produção e as exportações no sector deverão aumentar, antecipou esta quarta-feira o presidente da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), José Ramos.
9 de Fevereiro de 2011 às 14:11
Vendas vão baixar
Vendas vão baixar FOTO: D.R.

Em conferência de imprensa, o presidente da ACAP, estimou que este ano a previsão de vendas de automóveis ligeiros de passageiros deverá cair 23,3 por cento face ao ano anterior, para 171 500 veículos. Cenário diferente será o de 2012, acrescentou, altura em que as vendas de automóveis ligeiros de passageiros subirão 2,6 por cento face a este ano, para 175 900 veículos.

José Ramos apresentou também os números para 2010, tendo o mercado de ligeiros de passageiros acabado o ano passado com a venda de 223 464 unidades, correspondentes a um crescimento de 38,8 por cento face a 2009. O presidente da ACAP justificou, sobretudo, esta evolução com a antecipação da procura no final do ano devido à anunciada extinção do programa de incentivos ao abate de veículos, ao aumento Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) e do IUC (Imposto de Único de Circulação).

Já em 2010, a produção também cresceu 26 por cento, representando 1,7 por cento do total das exportações portuguesas. José Ramos lembrou que 97 por cento da produção automóvel é para exportação e disse acreditar que a recuperação vai continuar. "Ainda não atingimos os valores de 2007, mas estamos confiantes que vamos conseguir este ano", afirmou. José Ramos destacou ainda que o sector automóvel é o que "gera mais receitas fiscais para o Estado", tendo no ano passado atingido 6,4 mil milhões de euros, ou seja, 3,9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) e 20 por cento do total do dinheiro arrecadado com impostos.

No sector automóvel, a taxa de cobertura das importações pelas exportações é de 69 por cento, o que representa um valor superior à média nacional de 65,1 por cento.

ACAP Automóveis Vendas Crise Carros
Ver comentários