Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

VINHOS PRECIOSOS

Cerca de 350 lotes de garrafas de vinho, com os mais diversos anos de colheita e provenientes de várias regiões do País, fizeram as delícias das dezenas de apreciadores que acorreram ao Palácio do Correio Velho para participarem no leilão da garrafeira da antiga “Bezana’s Wine Shop”, loja de vinhos que funcionou no Bairro Alto entre 1985 e 1989.
29 de Janeiro de 2003 às 00:02
Com marcas em leilão como Barca Velha, Vinha Grande, Quinta da Bacalhoa, Quinta do Cotto, não admira que menos de dois terços dos lotes vendidos tenham gerado uma receita de quase 37500 euros.

O sucesso do leilão, considerado já o maior e mais rico evento do género realizado até hoje em Portugal, constata-se nos resultados: “Todos os lotes foram vendidos e o valor final foi praticamente o triplo da estimativa inicial”, segundo Luís Castelo Branco, administrador da leiloeira. Com a sala cheia de compradores, nem parecia que a economia está em crise.

BARCA VELHA 1957 VENDIDO POR 900 EUROS

Como não podia deixar de ser, os Barca Velha, a coroa de ouro dos vinhos portugueses, foram os vinhos mais caros do leilão. Duas garrafas magnum (capacidade de 150 centilitros) dos anos 1957 e 1966 renderam, respectivamente, 900 e 550 euros.

Por um valor elevado foi também arrebatado um lote de 12 garrafas de Reserva Velho – Colares, de 1948, que ascendeu a 990 euros. De resto, havia vinhos para todas as bolsas e para todos os gostos.
Ver comentários