Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

VINTAGE 2000 O MELHOR DO SÉC. XX

Desde Janeiro a Setembro de 2002 comercializaram-se 90 781 caixas de 9 litros de Vintage, num total de 817 029 litros, avaliados em 17 milhões de euros, o que traduz um aumento de 59,4% em relação a igual período do ano anterior.
27 de Novembro de 2002 às 00:00
Os principais mercados são os Estados Unidos da América, Reino Unido, Portugal, França e Holanda. O Vintage 2000 está actualmente a ser solicitado, para provas, pelas revistas da especialidade e eventos de vários países, tais como Dinamarca, Noruega, Espanha e EUA.

Cerca de seis dezenas de empresas ligadas aos Vinhos do Porto participaram nas Caves Ferreira, em Vila Nova de Gaia, na proclamação do Vintage 2000, cerimónia antecedida por uma prova horizontal de todos os vinhos, o que constituiu uma novidade dado que pela primeira vez a Confraria do Vinho do Porto apresentou numa só prova todos os vintages declarado pelas empresas.

O evento acabou por ditar o que muitos esperavam: o Vintage 2000 é dos melhores vinhos do século e coincide com o facto de se tratar de um ano emblemático pois quase todas as empresas do sector declararam o ano 2000 como "ano de Vintage").

Em 1994, algumas empresas de vinho do Porto tiveram elevadas pontuações em termos mundiais, em 1997, o número de empresas aumentou, e, em 2000, verifica-se que há mais de 60 vintages com elevada qualidade.

Segundo a legislação do Instituto do Vinho do Porto (IVP), o Vintage é um vinho de uma só colheita, produzido em ano de reconhecida qualidade, com características organolépticas excepcionais, retinto e encorpado, de aroma e paladar muito finos, que seja reconhecido pelo IVP com direito ao uso da designação "Vintage" e data correspondente. É engarrafado entre 1 de Julho do segundo ano e 30 de Julho do terceiro ano, a contar do ano de colheita.
Isabel Marrana, directora executiva da Associação de Empresas de Vinho do Porto, explicou ao CM que "o ano 2000 fica na história do Vinho do Porto, pois todas as casas produtoras declararam um vintage, como aconteceu com a mítica colheita de 1963".

Ciente de que a colheita de 2000 vai ser um êxito, a prova disso, segundo Isabel Marrana, é o facto do vintage ser muito solicitado para provas em vários países.

Para Francisco Olazabal, chanceler da Confraria do Vinho do Porto, "a qualidade tem relação constante com o mercado, em grande expansão, não só para o vintage mas também para outras categorias de vinho do Porto".
Ver comentários