Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
9

Ar condicionado é promessa falhada

Dois anos após o Ministério da Saúde, então tutelado por Luís Filipe Pereira, ter anunciado a instalação de sistemas de climatização em sete hospitais das regiões do Centro, Alentejo e Algarve, nada mudou: os doentes continuam, em dias de muito calor, a suar as estopinhas.
17 de Julho de 2006 às 13:00
O ar condicionado só deve chegar no final deste Verão a algumas unidades. Outras serão refrescadas apenas dentro de um ano. Os responsáveis pelos hospitais justificam a demora com a falta de verbas e a burocracia dos processos.
O Hospital Distrital de Évora é um dos mais necessitados de ar condicionado, à semelhança de Elvas, Fundão, Portalegre, Faro, Barlavento Algarvio e Centro Hospitalar da Cova da Beira. O administrador executivo do Hospital de Évora, Francisco Guerreiro, afirma ao CM que “só no próximo Verão, em princípio, estará a funcionar a climatização.” O hospital aguarda o visto do Tribunal de Contas para aprovar o financiamento do projecto, no valor de um milhão de euros. O objectivo é climatizar a unidade de internamento, com 200 camas.
“O financiamento é assegurado por verbas comunitárias e do programa Saúde XXI mas, como o valor é avultado, é necessário o visto do Tribunal de Contas”, explica Francisco Guerreiro, considerando o processo “muito burocrático”.
CALOR ABRANDA
No Hospital de Beja a situação não é muito diferente. A administradora Rosa Salgueira diz que “a instalação do sistema está em fase avançada, mas só deverá terminar em meados de Agosto”. Menos dispendioso, o projecto “não precisou do visto do Tribunal de Contas e, por isso, o processo foi mais rápido”.
Os serviços de Ortopedia e Cirurgia do Hospital Distrital de Faro aguardam ainda o ar condicionado. O Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio também não tem a funcionar o sistema de climatização.
Neste contexto, a única boa notícia é a previsão de descida da temperatura máxima. De tão ligeiro, o decréscimo será hoje pouco sentido. Mas amanhã, segundo o Instituto de Meteorologia, a diferença será mais sensível.
Em Santarém, o mercúrio desce de 41 para 39 graus e em Beja de 40º para 39º. Também em Lisboa, terça-feira, com 33º de máxima prevista, será um dia mais fresco. Bragança, com 37º e previsão de ocorrência de trovadas, vai assemelhar--se às regiões de clima tropical.
Apesar das altas temperaturas dos últimos dias, aos serviços de Urgência dos hospitais do Alentejo não acorreu um elevado número de doentes desidratados, principalmente idosos. No Hospital de Beja foram atendidos, por dia, dois doentes nas condições descritas, média considerada normal para a época. O mesmo aconteceu nos hospitais de Portalegre e Évora.
Quanto ao Índice Ultravioleta, vai apresentar-se hoje muito elevado na generalidade do território e extremo nas Beiras, pelo que deve evitar-se ao máximo a exposição ao sol. Uma recomendação que, a julgar pela afluência às praias nas horas de maior calor, os portugueses não têm levado em conta.
ALENTEJANOS NAS CASAS E NA PRAIA
No Alentejo, uma das regiões mais afectadas pela subida dos termómetros, os períodos de maior calor foram ontem, na generalidade, passados em casa, com o auxílio dos sistemas de refrigeração. Só mesmo durante a manhã houve algum movimento nas cidades e vilas. Tem havido uma corrida desenfreada aos aparelhos de refrigeração. Os sistemas portáteis de ar condicionado estão mesmo esgotados nos hipermercados da região de Évora. Está prevista uma reposição de ‘stocks’ para o meio da semana, mas já há uma enorme lista de espera para os novos aparelhos nas grandes superfícies.
No Litoral, nem os níveis máximos de radiação solar entre as 11h00 e as 16h00, nem os conselhos do Instituto de Meteorologia para os perigos da exposição demoveram os banhistas de se refrescarem na costa alentejana. A afluência às praias foi considerada “normal” para um domingo de Verão.
LIDAR COM O CALOR
462 MORTES EM 2005
Os dias tórridos de Agosto de 2005 revelaram-se fatais para um total de 462 portugueses, a maioria idosos, que não resistiram aos efeitos do calor, revelou um estudo divulgado pela Direcção-Geral de Saúde.
ALERTA LARANJA
Nove distritos estiveram ontem em alerta laranja, o segundo mais grave do sistema de avisos do Instituto de Meteorologia. Em Beja, Viseu, Guarda, Coimbra, Leiria, Santarém, Lisboa, Évora e Braga a situação meteorológica foi considerada de risco moderado a elevado.
BEBER SEM SEDE
Nunca é de mais insistir na importância de, quando o calor é muito, beber muita água ou outros líquidos não açucarados. Mesmo sem sede.
ROUPAS CLARAS
Saídas à rua nas horas de maior calor são de evitar. Se tiver mesmo de sair, use um chapéu ou um lenço. Vista roupas leves de algodão e de cores claras. As escuras absorvem mais calor.
LIGEIRA DESCIDA
Santarém, 41º (hoje); 32º (amanhã)
Beja, 40º (hoje); 34º (amanhã)
Coimbra, 40º (hoje); 32º (amanhã)
Braga, 38º (hoje); 29º (amanhã)
Portalegre, 37º (hoje); 32º (amanhã)
Bragança, 37º (hoje); 29º (amanhã)
Guarda, 35º (hoje); 30º (amanhã)
Porto, 35º (hoje); 26º (amanhã)
Lisboa, 34º (hoje); 30º (amanhã)
Faro, 29º (hoje); 27º (amanhã)
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)