Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
3

Autarquias reciclam carros abandonados

Recolher todos os veículos em fim de vida (VFV) das ruas e encaminhá-los para reciclagem nos centros de tratamento devidamente licenciados é o objectivo de um protocolo a ser estabelecido em breve entre as Câmaras Municipais de todo o País e a Valorcar, sociedade gestora dos VFV.
28 de Março de 2005 às 13:00
Esta é mais uma forma de combater os cerca de 15 mil veículos em fim de vida abandonados nas ruas, uma vez que o incentivo ao abate destes automóveis – em que o proprietário recebe do Estado cerca de mil euros para a aquisição de uma nova viatura –, demasiado burocrático, tem tido pouca adesão desde que foi implementado em 2000.
Há já um acordo entre a Associação Nacional de Municípios e a Valorcar, faltando apenas assinar os protocolos individuais com as autarquias, situação que vai avançar nas próximas semanas, sendo que várias Câmaras Municipais já contactaram a Valorcar para entrarem no combate aos veículos abandonados.
TRÊS CENTROS LICENCIADOS
Entretanto, estão desde o início deste mês a operar dentro da rede da Valorcar as primeiras três empresas das 29 previstas para a recepção e tratamento dos veículos em fim de vida.
Batistas (Carregado), Macropeças (Vila Nova de Poiares) e Reci21 (Figueira da Foz) são assim os primeiros operadores licenciados pela Valorcar para a recepção dos automóveis, e agora todos os VFV poderão ser entregues de forma gratuita nestas três empresas.
O ambiente fica a ganhar, uma vez que todos os veículos recebidos são submetidos a operações de despoluição, desmantelamento e fragmentação, de forma a garantir que a maioria dos seus componentes e materiais (óleos, vidros, pneus, metais, etc) sejam encaminhados para reutilização ou reciclagem.
NOVE EM ESTUDO
A Valorcar tem objectivos ambiciosos e até Abril de 2007 espera ter a funcionar no território nacional 29 centros de tratamento de VFV. Nesse sentido, além das três empresas já licenciadas, outras nove candidaturas estão a ser analisadas, prevendo--se assim o alargamento da rede para breve nos distritos de Faro, Setúbal, Santarém, Aveiro e Porto.
Para serem admitidas, as empresas terão de possuir todos os licenciamentos e seguros necessários e não podem ter dívidas ao Estado. Além disso, terão igualmente de respeitar os requisitos de construção e funcionamento da Valorcar, como por exemplo a impermeabilização total do terreno e o correcto tratamento das águas residuais.
Nos próximos meses, a Valorcar vai prosseguir o processo de selecção e licenciamento para criação das restantes empresas e assim completar a rede que vai cobrir todos os distritos do continente.
ENTREGA DE VEÍCULOS GRATUITA
No caso dos veículos abandonados na via pública, os custos da recolha e encaminhamento dos mesmos para os centros de tratamento licenciados pela Valorcar, é segundo a lei, da responsabilidade do proprietário do automóvel. Quando por alguma razão o mesmo não é identificado, são então as câmaras municipais que suportam a remoção e entrega do veículo. Mas quando são os proprietários que voluntariamente se dirigem aos centros licenciados pela Valorcar, a entrega do veículo é gratuita e oferece algumas vantagens: poupa-se tempo e evita-se muita burocracia. É que após deixar o carro no centro de tratamento e reciclagem, o detentor da viatura recebe um certificado de destruição, que prova a entrega da mesma num agente autorizado. A partir daqui, toda a burocracia fica por conta do operador que recebe o veículo e se encarrega de cancelar o registo de propriedade e a matrícula. Para o efeito, envia cópias do certificado de destruição para a Valorcar, empresa que monitoriza e fiscaliza todo o processo, e para a Conservatória do Registo Automóvel.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)