Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
2

Bolsa de emprego na net

José Sócrates e Vieira da Silva apresentam hoje, em Lisboa, mais um projecto ‘on-line’ vocacionado para facilitar o processo de procura de emprego. O NETemprego, assim se chama a iniciativa governamental, avança já com 2500 ofertas de trabalho, desde áreas de trabalho indiferenciadas até empregos qualificados.
28 de Junho de 2006 às 13:00
O portal, que tem acesso gratuito, é dirigido a todos os cidadãos “quer estejam desempregados quer sejam empregados e estejam à procura de um novo emprego e queiram mudar [de empresa ou actividade profissional]”, nas palavras de Fernando Medina, secretário de Estado do Emprego.
A apresentação do NETemprego conta, já a partir de hoje, com informações alojadas de 20 mil empresas e mais de 50 mil currículos de pessoas interessadas em encontrar emprego. Com este número de empresas inscritas, o portal do Ministério do Trabalho e da Segurança Social reúne condições para, num prazo não muito longo, apresentar uma crescente oferta de propostas de trabalho. Para já, o NETemprego conta com 2500 ofertas de emprego, um número que, segundo as previsões dos responsáveis do Ministério liderado por Vieira da Silva, poderá gerar hoje uma corrida às consultas e bloquear, ainda que de forma temporária, o acesso ao portal.
No essencial esta iniciativa ‘on-line’ do Ministério do Trabalho e da Segurança Social pretende ser “um serviço rápido, fácil e fisicamente semelhante àquele que as pessoas e as empresas teriam de fazer nos centros de emprego”, explica o secretário de Estado do Emprego. Desde logo, os cidadãos poderão registar directamente no portal o currículo, o tipo de emprego a que aspiram e os dados pessoais para contacto. E as empresas poderão fazer o mesmo em relação às ofertas de emprego que têm para apresentar ao mercado, tornando-as de imediato acessíveis a um universo muito alargado de pessoas.
O portal, que é gerido pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), representou um investimento de 100 mil euros, foi concebido pela ‘prata da casa’ e implicou apenas uma actualização do equipamento informático. E tem capacidade para acolher “largas centenas de milhares de currículos, assim como ofertas de emprego”, frisa Fernando Medina.
Como se trata de dados pessoais, o Ministério do Trabalho e da Segurança Social deixa claro que os candidatos às ofertas de emprego têm de autorizar o fornecimento dos seus contactos às empresas interessadas. “Ninguém será contactado sem que previamente tenha dado autorização para isso”.
ÁREAS DE OPORTUNIDADE DE EMPREGO
O sector privado de emprego destaca como áreas onde se regista um maior número de propostas de trabalho os serviços, informática, grande distribuição, ‘call centers’, contabilidade e secretariado. No Verão aumentam as ofertas nas áreas ligadas à venda e distribuição de gelados, hotelaria e restauração. As grandes cidades, a região do Algarve, Castelo Branco, Guarda e Aveiro continuam a ser as regiões do País que mais geram emprego nesta altura do ano. No futuro, estima-se que haja um aumento da procura de pessoal qualificado como técnicos de Higiene e Segurança.
No mês de Abril o Instituto de Emprego e Formação Profissional registou um maior número de ofertas de emprego para pessoal dos serviços de protecção e segurança, seguiram-se os operários, artífices e outros dentro deste sector e, por último, a área da construção civil foi a que mais empregos gerou.
PORTAL PARA PROCURA DE TRABALHO
OBJECTIVOS E ACÇÕES
O projecto NETemprego é um portal que tem como principal objectivo contribuir para a diversificação dos canais de prestação de serviiços na área do emprego. No endereço www.netemprego.gov.pt estão já alojadas informações de 20.000 entidades empregadoras e mais de 50.000 CV de candidatos à procura de emprego.
DOS SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS DESTACAM-SE
PARA OS CANDIDATOS
- Registo de CV e/ ou inscrição como candidato a emprego
- Gestão do processo individual (alteração ou actualização de informação)
- Consulta e candidatura a ofertas de emprego (o processo de candidatura a ofertas de emprego poderá ser ou não mediado pelo centro de emprego consoante o pedido da entidade empregadora)
- Comunicação de obtenção de emprego
- Pedido de declarações
- Mecanismo de gestão automática de ofertas de emprego (recepção em ‘e-mail’ das ofertas de emprego mais recentes)
- Informação sobre medidas de apoio ao emprego e respectivos formulários de candidatura quando se tratar de programas de apoio à criação do próprio emprego;
Informação sobre técnicas de procura de emprego
PARA AS ENTIDADES EMPREGADORAS
- Comunicação de ofertas de emprego
- Consulta das ofertas comunicadas e pedido de alteração/correcção
- Comunicação dos resultados referentes a candidatos encaminhados por parte dos centros de emprego
- Comunicar intenção de suspender ou terminar processo de recrutamento
- Consulta de CV
- Mecanismo de gestão automática de CV (recepção em ‘e-mail’ dos CV mais recentes)
- Informação sobre medidas de apoio ao emprego e respectivos formulários de candidatura.
As ofertas de emprego serão igualmente disponibilizadas no Portal Europeu: http://europa.eu.int/eures
Até final de Outubro de 2006, e tendo em conta que nem todos os candidatos dispõem de acesso próprio à internet, o IEFP implementará em todos os centros que não disponham de espaços de Livre Serviço para o Emprego, um conjunto de quiosques electrónicos para que todos os candidatos possam aceder ao NETemprego.
'NÃO É FACTOR DE CONCORRÊNCIA DESLEAL' (Fernando Medina, sec. de Estadodo Emprego)
Correio da Manhã – Que vantagens tem o NETemprego?
Fernando Medina – Este projecto é uma ferramenta de utilização imediata e prática para empresas com ofertas de emprego e pessoas à procura dele.
– E é uma concorrência desleal aos privados?
– Não. É mais um mecanismo de ajustamento do mercado do emprego. Haverá sempre espaço para empresas especializadas desenvolverem a sua actividade, porque prestam um conjunto de serviços de selecção e aconselhamento que não vai acontecer neste serviço.
– Este projecto é uma consequência do desemprego?
– Este projecto nasce para suprir uma lacuna grande que existe em Portugal: as ofertas de emprego estão muito dispersas.
DESEMPREGO NO 1º TRIMESTRE
429 700: Número total de desempregados, segundo o INE, no fim do primeiro trimestre deste ano.
194 000: Número total de homens desempregados, aumento homólogo de 0,7%.
235 700: Número total de mulheres desempregadas, subida homóloga de 7,2%.
42 300: Número de pessoas licenciadas sem emprego, aumento homólogo de 5,5%.
53 60: Número de pessoas à procura do primeiro emprego, redução de 2,7%.
376 200: Número de pessoas que procuram um novo emprego, mais 5,2%.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)