Costa bate Seguro e Passos

Autarca de Lisboa é visto como a melhor escolha para primeiro-ministro.
Por Diana Ramos|05.09.14
  • partilhe
  • 0
  • +
Costa bate Seguro e Passos
Presidente da Câmara de Lisboa é o preferido dos portugueses para suceder a Pedro Passos Coelho no cargo de primeiro-ministro Foto Pedro Catarino

António Costa é o preferido para ocupar o cargo de primeiro-ministro, deixando para trás António José Seguro, atual líder do PS e seu opositor nas eleições primárias do partido, e Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro. É este o resultado da sondagem CM/Aximage, que coloca o autarca de Lisboa com mais de 30 pontos de vantagem sobre os líderes do PS e do PSD.

Num confronto entre António Costa e António José Seguro, sobre quem é o melhor candidato a primeiro-ministro, o autarca surge com 60,9% das intenções de voto dos portugueses, contra 26,4% do líder do PS. Ainda assim, a vantagem era maior em junho: 62,8% contra 19,9%.

Num duelo entre Passos Coelho e Costa, o primeiro-ministro sai derrotado com apenas 32% das intenções, contra os 63% do autarca.

António José Seguro, o líder do PS, sai como principal derrotado em todos os embates: ainda que por pouca margem. Quando colocado frente a frente com o líder do PSD, Seguro perde com 40,1% das intenções de voto, perante os 42,6% de Passos Coelho.

Entre os eleitores que, em 2011, votaram no PS, António Costa também se destaca nas preferências, ainda que a diferença para António José Seguro seja, neste caso, mais reduzida: 28 pontos (60,4% contra 32,9%). Quando questionados sobre em quem nunca votariam para primeiro-ministro, 55,6% dos inquiridos rejeitam o nome de Seguro e apenas 23,7% vetam António Costa para o cargo.

FICHA TÉCNICA

Universo: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel.

Amostra: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 602 entrevistas efectivas: 261 a homens e 341 a mulheres; 125 no interior, 263 no litoral norte e 214 no litoral centro sul; 150 em aldeias, 204 em vilas e 248 em cidades. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral.

Técnica: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido nos dias 31 de Agosto e 1 a 3 de Setembro de 2014, com uma taxa de resposta de 80,4%.

Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 602 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma "margem de erro" - a 95% - de 4,00%).

Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.

--------------

Socialistas não descolam dos 31%  

Se as eleições legislativas fossem hoje, a maioria dos portugueses escolheria o PS para governar o País. Ainda assim, os socialistas estão, desde junho, altura em que António Costa se mostrou disponível para concorrer à liderança do partido, com dificuldades em descolar da fasquia dos 31%.

Segundo o barómetro CM/Aximage, 30,9% dos inquiridos escolhem o PS nas intenções de voto legislativo, contra 28,6% que optam pelos sociais-democratas. A CDU surge com 11,9% das escolhas, o CDS-PP com 8,4% e o BE com 5,7%. Certo é que, de acordo com o barómetro, 41,2% dos inquiridos dizem abster-se de escolher entre os diversos partidos. Olhando para os números é também visível que desde que foram conhecidos os resultados das europeias, em maio, e desde que foi aberta a corrida à liderança no PS, os socialistas obtêm sempre intenções de voto entre os 31% e os 32%. Sobre a avaliação dos membros do Governo, a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, mantém-se intocável na liderança. Nuno Crato, na Educação, é considerado o pior ministro.

FICHA TÉCNICA
Universo: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel.

Amostra: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 602 entrevistas efectivas: 261 a homens e 341 a mulheres; 125 no interior, 263 no litoral norte e 214 no litoral centro sul; 150 em aldeias, 204 em vilas e 248 em cidades. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral.

Técnica: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido nos dias 31 de Agosto e 1 a 3 de Setembro de 2014, com uma taxa de resposta de 80,4%.

Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 602 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma "margem de erro" - a 95% - de 4,00%).

Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.

-----------------

Opinião

Costa ou Seguro: quem será eleito?


António Costa é preferido para liderar o PS: agora, no início de Setembro, face a Seguro, Costa dará melhor 1º ministro para 61% dos eleitores portugueses, 35 pontos acima de Seguro.


Contudo, entre os eleitores que votaram PS em 2011, a vantagem de Costa sobre Seguro desceu para 28 pontos percentuais (foi de 40 em Junho e 55 em Julho), o que significa que a longa campanha interna do PS prejudicou Costa, logo a partir de meados de Julho.


Uma campanha que, no entanto, não beneficiou o PS já que este estagnou nas intenções de voto legislativo: 32,0% em Junho, 31,0% em Julho e 30,9% em Setembro, mês em que a vantagem sobre o PSD se reduz a uns escassos 2,3%.


A melhoria relativa do PSD é também confirmada pelo avanço do seu líder na disputa que mantém com Seguro: a sondagem de Setembro mostra que a vantagem de 10 pontos percentuais que Seguro possuía em Julho relativamente à confiança dos eleitores para 1º ministro desapareceu, com Passos Coelho a ultrapassar agora Seguro em 2,5%.


Neste triângulo entre Costa, Passos e Seguro a diferença é sensível. Na disputa com Passos, Costa recebe a preferência para 1º ministro de 63%, superando-o em 31 pontos.


Os resultados destas três sondagens parecem indicar que António Costa terá conquistado o país mas, para isso, falta-lhe ainda ultrapassar um obstáculo de peso: ganhar no PS!


(texto de opinião de Jorge de Sá)

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De carmom05.09.14
    Não surpreende,os portugueses sempre esperam a vinda de D.Sebastião..E como tem estado dias de nevoeiro,pode ser que chegue desta vez.
2 Comentários
  • De ROLF05.09.14
    O péssimo resultado das Europeias foi fatal para Seguro. Era espectavel que os eleitores aproveitassem para dar forte safanão no PSD. Isso não sucedeu e a vitória do PS de Seguro foi de pirro. A. Costa irá ganhar e possivelmente a maioria absoluta em 2015!!!!
    Responder
     
     1
    !
  • De carmom05.09.14
    Não surpreende,os portugueses sempre esperam a vinda de D.Sebastião..E como tem estado dias de nevoeiro,pode ser que chegue desta vez.
    Responder
     
     1
    !