Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
7

Dá tiros a vizinho e sequestra avião

Ex-emigrante em Macau queria fugir para Espanha, mas acabou por se suicidar em Tires.
13 de Fevereiro de 2010 às 00:30
Mikael Anderson é sueco e pilotava a aeronave. Lutou contra o pirata e desarmou-o ainda no ar
Mikael Anderson é sueco e pilotava a aeronave. Lutou contra o pirata e desarmou-o ainda no ar FOTO: Tiago Sousa Dias

Deu dois tiros de carabina num antigo vizinho em Portalegre, às 14h00. E às 16h53 suicidava-se com a mesma arma no aeródromo de Tires, Cascais. Isto depois de ter feito explodir o próprio carro em Évora e sequestrado três pessoas numa avioneta com o objectivo de fugir para Espanha.

Segundo o CM apurou, o acto tresloucado foi cometido por Marques Carrilho, ex-emigrante em Macau, de 41 anos, que depois de tentar matar um vizinho (ver peça secundária) se dirigiu ao aeródromo de Évora. Armadilhou o próprio carro, escondeu a carabina e fingiu que era fotógrafo. Quando se aproximou da aeronave da empresa Queda Livre sacou da arma e obrigou o piloto e os dois instrutores de saltos a levantar voo.

O avião descolou pelas 16h03 e um minuto depois explodia o monovolume. De arma em punho, o pirata do ar exigiu ir para Espanha, mas o piloto dirigiu-se para o aeródromo de Tires. Quando a aeronave se fazia à pista, obrigou os dois homens equipados com pára-quedas a saltar. 'A informação que temos é de que foram obrigados a saltar quando o avião estava a 750 pés (320 metros), mas aterraram bem', disse ao CM João Lopes, da Queda Livre.

Permaneceram no avião o pirata do ar e Mikael Anderson, piloto sueco de 30 anos. Com a carabina apontada, o piloto debateu-se para tirar a arma ao agressor, o que veio a conseguir. Já próximo da pista cortou o combustível, parando os motores. Assim que o avião tocou no chão, guinou para fora da pista. Com a aeronave parada, Mikael fugiu. O pirata sacou de outra arma e disparou um tiro na cabeça, suicidando-se. Morreu ainda no interior do avião.

USADO EXPLOSIVO ARTESANAL

O monovolume terá sido armadilhado rapidamente. O homem usou apenas algumas botijas de gás e esferas metálicas, tendo colocado a bomba artesanal na mala do monovolume. A informação da existência de um engenho explosivo fez, no entanto, as autoridades suspeitarem da possibilidade de atentado terrorista. A tese foi afastada.

PORMENORES

AVIÃO AUSTRALIANO

O avião que se despenhou é um PAC 750 XL de origem australiana e matrícula alemã usado na prática do pára-quedismo. Pode transportar dez passageiros ou 16 pára-quedistas.

CORPO SAIU ÀS 22H15

O cadáver de Marques Carrilho,o pirata do ar que sequestrou a avioneta, foi retirado da pista da Base Aérea de Tires pelas 22h15. Os bombeiros transportaram-no para a morgue do Hospital de Cascais, onde será autopsiado.

'A HÉLICE VINHA PARADA'

Gonçalo Sousa, de 19 anos, está a tirar o curso de piloto no aeródromo de Tires e assistiu ao acidente. 'O avião vinha sem motor, com a hélice parada. Estava a cerca de 150 metros do solo quando vimos duas pessoas saltarem de pára-quedas. Tentou depois aterrar mas com os ventos cruzados acabou por se estatelar', disse ao CM. O jovem conta que viu 'um homem a fugir do avião' após a queda e depois 'pessoas a abraçarem-se', provavelmente o piloto e os dois homens que saltaram de pára-quedas. Gonçalo disse ainda que os três homens 'foram revistados pela PSP'.

JUDICIÁRIA EM FORÇA NO TERRENO

A directoria de Lisboa da Polícia Judiciária esteve ontem em força no terreno. Investigadores da Brigada de Homicídios da PJ deslocaram-se a Tires e a Portalegre, onde recolheram diversos elementos. Também elementos da DCCB foram a Elvas, onde recolheram provas relacionadas com os explosivos colocadosno carro. Ao princípio da noite, a PJ já tinha reunido os principais elementos relativos ao incidente.

EX-MILITAR E DE POUCAS FALAS

Homem de poucas falas, o ex-militar do Exército perdeu a cabeça quando avistou um antigo vizinho com quem mantinha desavenças e disparou dois tiros que o atingiram com gravidade na face e num braço. Começava aí, cerca das 14h00, uma rocambolesca história protagonizada por este homem que tentou matar, fugiu, armadilhou o carro e sequestrou um piloto e dois pára--quedistas em Évora. Tudo acabou com a queda da aeronave e suicídio.

Em Fortios, o episódio apanhou a aldeia de surpresa. Os tiros terão acontecido dentro da propriedade da vítima, Joaquim Garcia, de 59 anos. O atirador abriu a porta do carro e desferiu os disparos, que só por milagre não tiveram consequências mais trágicas, colocando-se depois em fuga. Atingido na face e no braço, o homem caminhou em direcção à estrada que atravessa a localidade. 'Foi encontrado ensanguentado na estrada por um camionista e uma ambulância que passou e que prestou auxílio, até chegar o INEM', disse uma testemunha. 'A vítima foi estabilizada, mas em estado considerado grave. Foi, posteriormente, transferido para Lisboa', disse ao CM o Gabinete de Comunicação do Hospital de Portalegre.

O homem, que foi identificado pela vítima, estava em processo de divórcio. Foi emigrante em Macau. 'Pouco falava com as pessoas. Não era uma pessoa que convivesse com os da terra', referiu um popular.

NOTAS

INQUÉRITO: GABINETE RETIRA-SE

Uma equipa do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves do Ministério das Obras Públicas esteve ontem em Tires, mas retirou-se quando soube que se tratava de crime

LUTA: COMBUSTÍVEL CORTADO

Em luta com o pirata do ar, o piloto da aeronave, Mikael Anderson, conseguiu cortar o tubo do combustível, provocando a paragem do motore levando a que o avião aterrasse abruptamente

DISPAROS: SEIS INVÓLUCROS

Uma brigada da Polícia Judiciária recolheuseis invólucros de carabina no interior do avião sinistrado, o que indicia a existência de tiroteio ainda antes de a aeronave aterrar em Tires

Ver comentários